Os números da superioridade rubro-negra

Embora tenha sido derrotado pelo Fluminense na 4ª rodada, derrotar o Botafogo fez o Flamengo começa a trilhar o caminho rumo à saída do Z-4.

Ainda que não tenha derrotado o rival na ocasião (dois empates), mais uma vez o Flamengo se sagrou campeão estadual sobre o Vasco em 2014.

Inseridos no recente contexto de 2014, os exemplos acima comprovam a estatística que o Blog Teoria dos Jogos publica agora: quão grande é a superioridade recente do Flamengo sobre seus rivais cariocas? Em parceria com o sempre competente FutDados, fomos atrás da estatística dos confrontos rubro-negros contra Botafogo, Vasco e Fluminense*.  Década por década, o panorama foi o seguinte:

*Fonte: Fla-Estatística

Fig 01.1
Clique para ampliar

Fig 01Fig 01O Botafogo é o clube que mais perdeu para o Flamengo: são 20 vitórias a menos. Em contrapartida, o Alvinegro foi responsável pelo maior massacre já sofrido pelos flamenguistas em uma única década. A famosa história do “bicho antecipado” do goleiro Manga é real, se refletindo no saldo positivo de 13 vitórias a favor do Bota entre 1960 e 1970. A má sequência rubro-negra se deu justamente após seu melhor desempenho: na década de 50, o Fla ganhou 56,41% dos pontos disputados contra o Botafogo. Nos dias atuais, a superioridade do clube da Gávea é apenas a 5ª maior da história do confronto.

Fig 02.1
Clique para ampliar

Fig 02Fig 02.1 O cruzmaltino é o único que conseguiu ser superior ao Flamengo em três décadas diferentes (incluindo, surpreendentemente, a década de 80). Fluminense e Botafogo o fizeram apenas duas vezes. No entanto, não foram suficientes para fazer o Vasco ter superioridade contra o Flamengo, já que o Rubro-Negro venceu 15 vezes a mais. O desempenho flamenguista na década de 2010 (55,56%) é o segundo melhor da história, ficando atrás apenas dos anos 60.

Fig 03.1
Clique para ampliar

Fazem mais de 80 anos que o Fluminense não termina uma década com superioridade sobre o Flamengo. Ainda assim, o confronto tem equilíbrio: o Tricolor foi quem mais empatou, fazendo o Rubro-Negro conquistar seu menor percentual histórico de pontos (46,53%, contra 47,35% do Vasco e 47,24% do Botafogo). Mas na década de 2010 o Mengão vem se dando bem: ganhou 55,56% dos pontos em Fla-Flus. No total agregado (Fla x Bota+Vasco+Flu), o resultado ficou assim:

Fig 04.1
Clique para ampliar

As 17 vitórias, 17 empates e 8 derrotas fizeram dos últimos anos os melhores do Flamengo na história dos clássicos no Rio: 53,97% de aproveitamento.  Números semelhantes quando comparados aos últimos dez anos – ou seja, a “década” que se inicia em 2005 e termina em 2014:

Fig 05.1
Clique para ampliar

Neste caso, mais do que o índice de vitórias (52,85%), chama atenção o saldo de vitórias do Flamengo: venceu 21 vezes mais do que perdeu, configurando o melhor desempenho de todos os tempos.

Caso o bom histórico permaneça, é possível que o Fla conquiste mais de quatro pontos contra Fluminense e Botafogo ainda neste Campeonato Brasileiro.Pelo andar da carruagem, tornando necessários outros 30 pontos para que a Nação possa chegar a dezembro dormindo tranquilas noites de sono.

Um grande abraço e saudações!

E-mail da coluna: teoriadosjogos@globo.com

Siga @vpaiva_btj

Curtam o blog Teoria dos Jogos no Facebook!

3 comentários sobre “Os números da superioridade rubro-negra

  1. Vinícius ,

    O assunto que dominou as manchetes e os programas de TV ao longo da semana foi o colapso do Botafogo. Não acha que o assunto merece uma coluna no seu blog ? Além dos 95 milhões sonegados no TRT , o balanço do Botafogo de 2013 dá pistas de como será muito difícil para o clube voltar a ser grande. São mais de 100 milhões em dívidas bancárias a um custo de 1.8% a.m ( é óbvio que nada foi amortizado no ano ) , mais de 50 milhões em cotas de TV já adiantadas , 40 milhões devidos a prestadores de serviços ( ação cível ), 100 milhões em processos trabalhistas já perdidos e outros 100 milhões sendo julgado no TRT , além , é claro , dos mais de 350 milhões em impostos atrasados.

    Tudo isso é muito para um clube que gera 100 milhões / ano em receitas operacionais.

    Colocar a culpa num Engenhão fechado apenas mostra que o clube não vai se recuperar mesmo pois “se esquecem” que a realidade do estádio é operar no vermelho e não o que ocorreu entre o segundo semestre 2010 e final de 2012.

    O Botafogo arranhou demais a sua imagem. Não vejo mais saída. A passagem do Seedorf serviu como uma despedida em alto estilo do não mais Glorioso…

    Vale uma coluna

Deixe uma resposta