Arquivos mensais: dezembro 2014

Acabou, o Fluminense está rebaixado

Não se fala de outra coisa. Ainda em suas primeiras horas, este 10/12/2014 se notabilizou por ser o dia em que a Unimed anunciou o fim da parceria com o Fluminense. A data também ficará marcada como aquela em que finalmente se inicia a abertura da caixa de Pandora tricolor. O que se verá dentro dela é um grande mistério.

Naturalmente, o título da coluna é uma brincadeira com um dos maiores memes do Twitter, de autoria deste que vos fala e originalmente relativo ao Flamengo. O Fluminense não está rebaixado no sentido próprio da palavra – o foi em 2013, mas isto são outros quinhentos. O “rebaixamento” tricolor, no caso, se refere a uma queda abrupta de padrão. Um choque de realidade que, por muito tempo, tomará de assalto os salões nobres das Laranjeiras.

A verdade é que o patrocínio da Unimed era um verdadeiro mecenato, algo que não fazia o menor sentido em termos mercadológicos. Atualmente, matérias e colunas dão conta de um montante anual de R$ 25 milhões injetados no Tricolor. Balela! Apesar da queda verificada nas duas últimas temporadas, o “paitrocínio” da cooperativa chegou a bater a casa dos R$ 100 milhões anuais – se somarmos pagamento de salários, compra de direitos econômicos e repasses diretos. Trata-se do dobro do que recebem clubes como Flamengo e Corinthians, com maior exposição e taxas de retorno.

Durante todo este período, o Fluminense não entrava para perder. Sua atividade favorita era atravessar negociações em curso, principalmente se envolvessem arquirrivais. Com isto, valores se inflacionavam e o clube se valia justamente da bonança financeira para surgir como único capaz de honrar os compromissos. Com base nesta lógica perversa e nada saudável, o Fluminense montou verdadeiros esquadrões e voltou aos títulos nacionais após mais de duas décadas.

Mas a referida bonança não corresponde ao valor de mercado do Fluminense. Nos rankings de receita, o clube sequer aparece no top-10 e sempre regula com o coirmão Botafogo. Aliás, o afluxo de receitas da Unimed fez do Tricolor um clube maior que o Alvinegro, quando historicamente sempre foram similares. O bicampeonato brasileiro nos pontos corridos e a Copa do Brasil de 2007 contrastam com o rebaixamento botafoguense à Série B. Clubes com o mesmo número de torcedores, montante de receitas e perfil das dívidas.

Mas Rica Perrone está certo quando diz que o Fluminense não é o Chelsea, de modo que os torcedores não necessariamente ouçam tocar as trombetas do inferno. O resgate passa justamente pela torcida – a mais elitizada do país em termos sócio-econômicos e por isto atrativa dentro do nicho de mercado. Andar com as próprias pernas também fará bem a um clube que almeja a independência, e neste sentido os méritos são do presidente Peter Siemsen, ferrenho opositor ao regime autocrático de Celso Barros desde que assumiu o cargo.

Segundo consta, jogadores com contrato vigente (ex: Conca) continuarão com salários arcados arcados pela Unimed, tornando menos abrupto o rompimento. Em compensação, diversos vínculos que se encerram em 2014 – envolvendo peças-chave como o goleiro Diego Cavalieri – já não serão renovados. Enquanto o ídolo da companhia (o centroavante Fred) reclama publicamente dos direitos de imagem desonrados, mesmo representando parcela pequena de seus vencimentos. Alguém acredita que, daqui para frente, o Fluminense terá condições de arcar com salários milionários em sua totalidade?

Dias sombrios virão.

Um grande abraço e saudações!

E-mail da coluna: teoriadosjogos@globo.com

Siga @vpaiva_btj

Curtam o blog Teoria dos Jogos no Facebook!

As maiores rendas da história – atualização final 2014

Como já virou tradição, o Blog Teoria dos Jogos traz à tona a atualização do ranking nacional de rendas e tickets médios do futebol brasileiro. A reta final dos campeonatos nacionais foi pródiga em partidas de enorme bilheteria, decisões envolvendo arquirrivais e inaugurações de arenas.

RANKING EM JOGOS ENTRE CLUBES

1) Atlético-MG 2 x 0 Olímpia – Mineirão (MG) – 24/07/2013 – Público: 56.557 – Renda:  R$ 14.176.146,00 – Final Libertadores 2013;

2) Flamengo 2 x 0 Atlético-PR – Maracanã (RJ) – 27/11/2013 – Público: 57.991 – Renda: R$ 9.733.785,00 – Final Copa do Brasil 2013;

3) Cruzeiro 0 x 1 Atlético-MG – Mineirão (MG) –26/11/2014 – Público: 39.786 – Renda: R$ 7.855.510,00 – Final Copa do Brasil 2014;

4) Santos 0 x 0 Flamengo – Mané Garrincha (DF) – 26/05/2013 – Público: 63.501  – Renda: R$ 6.948.710,00 – Brasileirão 2013;

5) Atlético-MG 4 x 3 Lanús – Mineirão (MG) – 23/07/2014 – Público: 54.786 – Renda: R$  5.732.930,00 – Recopa 2014;

6) Cruzeiro 3 x 0 Grêmio – Mineirão (MG) – 10/11/2013 – Público: 56.864 – Renda: R$ 5.231.711,00 – Brasileirão 2013;

7) Palmeiras 0 x 2 Sport – Allianz Parque (SP) – 19/11/2014 – Público: 35.939 – Renda: R$ 4.915.885,00 – Brasileirão 2014;

8 ) Atlético-MG 2 x 0 Cruzeiro – Independência (MG) – 12/11/2014 – Público: 18.578 – Renda: R$ 4.741.300,00 – Final Copa do Brasil 2014;

9) Atlético-MG 4 x 1 Flamengo – Mineirão (MG) – 05/11/2014 – Público: 41.352 – Renda: R$ 4.615.660,00 – Semifinal Copa do Brasil 2014;

10)  São Paulo 2 x 1 Internacional – Morumbi (SP) – 05/08/2010 – Público: 57.113  – Renda 4.484.282,25 – Semifinal Libertadores 2010;

Obs1: Partidas recém incluídas no ranking estão em negrito.

Obs2.: Os valores expressam a renda bruta de partidas na história recente do nosso futebol, não sendo corrigidos pela inflação. O objetivo deste levantamento é justamente a comparação intertemporal de valores, evidenciando a majoração dos preços ao longo dos anos 

A final da Copa do Brasil entre Atlético-MG e Cruzeiro foi mais do que uma festa. Além do recente domínio destes times em campo, as duas partidas – jogadas no estádio Independência e no novo Mineirão – sacramentaram a impressionante primazia mineira sobre as bilheterias do futebol nacional. De lambuja, uma das semifinais do torneio (vitória do Galo diante do Flamengo no Mineirão) também se tornou integrante do top-10.

Com quatro partidas entre as dez, o Atlético-MG assume o posto de campeão nacional de bilheterias. Em segundo vem o Cruzeiro (duas oportunidades), fazendo com que Belo Horizonte domine nada menos que seis entre as dez maiores rendas. O Flamengo também aparece duas vezes, sendo que em uma não era o mandante “de direito”, mas de fato (contra o Santos). Palmeiras e São Paulo surgem uma única vez. Por alguns dias o clássico Botafogo x Flamengo da Arena Amazônia ocupou o top-10, mas caiu a 12º com a entrada das partidas em negrito.

Por incrível que pareça, a antiga meca das bilheterias se tornou exceção. Mesmo com duas arenas de ponta, o estado de São Paulo se vê representado apenas pela recente inauguração da Allianz Parque, além de uma antiga partida do São Paulo pela Libertadores. Embora as rendas médias da Arena Corinthians sejam bastante satisfatórias, a verdade é que a vocação de “trem pagador do futebol brasileiro” se mostrou um exagero da enviesada mídia paulistana.

Sem partidas recentes em território nacional, o ranking envolvendo a Seleção Brasileira se manteve inalterado:

RANKING EM JOGOS DA SELEÇÃO

1) Brasil 1×0 Sérvia – Morumbi (São Paulo/SP) – 6/6/2014 – Público: 63.280 – Renda: R$8.693.940,00 –Amistoso

2) Brasil 2 x 2 Inglaterra – Maracanã (RJ) – 02/06/2013 – Público: 57.280 – Renda: R$ 8.615.730,00 – Amistoso;

3) Brasil 3 x 0 França – Arena Grêmio (RS) – 09/06/2013 – Público: 51.643 – Renda: 6.833.515,00 – Amistoso;

4)  Brasil 0 x 0 Argentina – Mineirão (MG) – 18/06/2008 – Público: 52.527 – Renda: 6.605.255,00 – Eliminatórias Copa 2010;

5)  Brasil 1 x 0 Romênia – Pacaembu (SP) – 07/06/2011 – Público: 30.059 – Renda : R$ 4.357.705,00 – Amistoso;

6)  Brasil 4 x 2 Chile – Pituaçu (BA) – 09/09/2009 – Público: 30.370 – Renda: R$ 4.350.425,00 – Eliminatórias Copa 2010;

7)  Brasil 2 x 1 Paraguai – Arruda (PE) – 10/06/2009 – Público: 55.252 – Renda: R$ 4.322.555,00 – Eliminatórias Copa 2010;

8 )  Brasil 2 x 1 Uruguai – Morumbi (SP) – 21/11/2007 – Público 65.379 – Renda: R$ 4.321.225,00 – Eliminatórias Copa 2010;

9) Brasil 6 x 0 Austrália – Mané Garrincha (DF) – 07/09/2013 – Público: 40.428 – Renda: R$ 3.751.640,00 – Amistoso;

10)  Brasil 2 x 2 Chile – Mineirão (MG) – 25/04/2013 – Público: 53.331 – Renda: R$ 3.255.205,00 – Amistoso;

Portanto, o ranking agregado incluiu unicamente a segunda partida da final mineira:

RANKING AGREGADO (SELEÇÃO + CLUBES)

1) Atlético-MG 2 x 0 Olímpia – Mineirão (MG) – 24/07/2013 – Público: 56.557 – Renda: R$ 14.176.146,00 – Final Libertadores 2013;

2) Flamengo 2 x 0 Atlético-PR – Maracanã (RJ) – 27/11/2013 – Público: 57.991 – Renda: R$ 9.733.785,00 – Final Copa do Brasil 2013;

3) Brasil 1×0 Sérvia – Morumbi (São Paulo/SP) – 6/6/2014 – Público: 63.280 – Renda: R$ 8.693.940,00 – Amistoso

4)  Brasil 2 x 2 Inglaterra – Maracanã (RJ) – 02/06/2013 – Público: 57.280 – Renda: R$ 8.615.730,00 – Amistoso;

5) Cruzeiro 0 x 1 Atlético-MG – Mineirão (MG) –26/11/2014 – Público: 39.786 – Renda: R$ 7.855.510,00 – Final Copa do Brasil 2014;

6)  Santos 0 x 0 Flamengo – Mané Garrincha (DF) – 26/05/2013 – Público: 63.501 – Renda: R$ 6.948.710,00 – Brasileirão 2013;

7)   Brasil 3 x 0 França – Arena Grêmio (RS) – 09/06/2013 – Público: 51.643 – Renda: 6.833.515,00 – Amistoso;

8 )   Brasil 0 x 0 Argentina – Mineirão (MG) – 18/06/2008 – Público: 52.527 – Renda: 6.605.255,00 – Eliminatórias Copa 2010;

9) Atlético-MG 4 x 3 Lanús – Mineirão (MG) – 23/07/2014 – Público: 54.786 – Renda: R$  5.732.930,00 – Recopa 2014;

10) Cruzeiro 3 x 0 Grêmio – Mineirão (MG) – 10/11/2013 – Público: 56.864 – Renda: R$ 5.231.711,00 – Brasileirão 2013;

Mas o grande destaque recai sobre o ranking de tickets médios. Se beneficiando da escassez de assentos do pequeno Independência, o Galo majorou preços à estratosfera na primeira decisão diante da Raposa. O resultado foi um novo recorde nacional, com inacreditáveis R$ 255 pagos pelo ingresso médio. Na partida seguinte o Cruzeiro fez algo semelhante e ocupou o terceiro posto. Três mineiros no top-3. E o Palmeiras em nono.

MAIORES TICKETS MÉDIOS DA HISTÓRIA

1) Atlético-MG 2 x 0 Cruzeiro – Independência (MG) – 12/11/2014 – Público: 18.578 – Renda: R$ 4.741.300,00 – Final Copa do Brasil 2014 – Ticket: R$ 255

2) Atlético-MG 2 x 0 Olímpia – Mineirão (MG) – 24/07/2013 – Público: 56.557 – Renda:  R$ 14.176.146,00 – Final Libertadores 2013 – Ticket: R$ 250; 

3) Cruzeiro 0 x 1 Atlético-MG – Mineirão (MG) –26/11/2014 – Público: 39.786 – Renda: R$ 7.855.510,00 – Final Copa do Brasil 2014 – Ticket: R$ 197

4) Flamengo 2 x 0 Atlético-PR – Maracanã (RJ) – 27/11/2013 – Público: 57.991 – Renda: R$ 9.733.785,00 – Final Copa do Brasil 2013 – Ticket: R$ 167;

5) Brasil 2 x 2 Inglaterra – Maracanã (RJ) – 02/06/2013 – Público: 57.280 – Renda: R$ 8.615.730,00 – Amistoso – Ticket: R$ 150;

6) Brasil 1 x 0 Romênia – Pacaembu (SP) – 07/06/2011 – Público: 30.059 Renda : R$ 4.357.705,00 – Amistoso–Ticket: R$ 145;

7) Brasil 4 x 2 Chile – Pituaçu (BA) – 09/09/2009 – Público: 30.370  Renda: R$ 4.350.425,00 – Eliminatórias Copa 2010– Ticket: R$ 143; 

8 ) Brasil 1×0 Sérvia – Morumbi (São Paulo/SP) – 6/6/2014 – Público: 63.280 – Renda: R$8.693.940,00 –Amistoso – Ticket: R$ 137;

9) Palmeiras 0 x 2 Sport – Allianz Parque (SP) – 19/11/2014 – Público: 35.939 – Renda: R$ 4.915.885,00 – Brasileirão 2014 – Ticket: R$ 136;

10) Brasil 0 x 0 Argentina – Mineirão (MG) – 18/06/2008 – Público: 52.527 Renda: 6.605.255,00 – Eliminatórias Copa 2010 – Ticket: R$ 125;

Por fim, não custa lembrar: os rankings acima são um acompanhamento exclusivo do Blog Teoria dos Jogos. Diversos são os grandes portais de internet que fazem o Ctrl+C/Ctrl+V sem qualquer constrangimento e citação. Recuse imitações!

Um grande abraço e saudações!

E-mail da coluna: teoriadosjogos@globo.com

Siga @vpaiva_btj

Curtam o blog Teoria dos Jogos no Facebook!