A Pesquisa da Vez: Rio Grande do Sul/2015 – tabulações exclusivas

Detalhamento da pesquisa:

Localidade: Estado do Rio Grande do Sul

Instituto: Index (http://www.institutoindex.com.br/)

Amostra: 1.200 entrevistas, em fevereiro de 2015

Margem de erro: 2,9 p.p

Rio Grande do Sul. Tradicional celeiro futebolístico, terra de uma das maiores rivalidades entre clubes do Brasil. Por lá, se leva a questão das torcidas tão a sério que o estado é, de longe, quem melhor foi mapeado pelo Blog Teoria dos Jogos. Desde as preferências do interior até os números do estado em geral, tudo já passou pelo crivo dos institutos locais. Em meio à entressafra de materiais do gênero, só mesmo uma empresa gaúcha para inaugurar a publicação de pesquisas no ano de 2015.

O problema é que, a cada nova pesquisa, saímos com menos certezas do que entramos. Clicando nos links do parágrafo anterior, percebemos um interior amplamente dominado pela torcida gremista – em linha com o crescimento do clube nas décadas de 80 e 90. Eis que em 2013, pela primeira vez o Inter surgiu na dianteira – algo provavelmente atribuído à explosão colorada nos anos 2000. Do pó viemos, ao pó retornaremos. Segundo nova pesquisa do Instituto Index, é o Tricolor quem comanda absolutamente todo o estado:

Fig 01

Com 49% das preferências, o Grêmio se consolida como o rei dos pampas. Surpreendentemente abaixo, o Internacional surge com 35,7%. Apenas Brasil de Pelotas (2,7%), Caxias (1,3%) e o surpreendente Lajeadense (1,1%) ultrapassam a marca unitária. Outros quatro clubes gaúchos e cinco forasteiros são citados. O número de pessoas sem time (7,2% = 2,8% + 4,4%) também se dá em níveis muito inferiores aos que se tinha notícia.

Embora a pequena amostragem eleve sobremaneira a margem de erro em cada faixa específica, a distribuição geográfica das torcidas se deu assim:

Fig 02

O Tricolor supera o Colorado em todas as regiões do estado, com maior diferença na região Oriental (50,6% a 27,8%) e menor no Sudoeste (50,6% a 49,4%). A única torcida a realmente bater de frente com a dupla Gre-Nal é a Xavante: na região Sudeste, o Brasil de Pelotas marca 28,8%, superando o Inter (23,4%) e só perdendo para o Grêmio (36,9%). Denotando algum caráter cosmopolita, apenas na região metropolitana de Porto Alegre foram verificados torcedores de times de fora (Atlético-MG, Atlético-PR, Flamengo, Palmeiras e São Paulo).

Por gênero e faixa etária:

Fig 03

Fig 04

Interessante constatação: o Grêmio atinge maioria absoluta entre homens (51,4%), enquanto as coloradas existem em maior número na torcida do Inter (38,4%, contra 33,4%). Cem por cento dos torcedores do Caxias entrevistados eram homens.

Por idade, tanto Grêmio quanto Inter mantem relativa estabilidade entre faixas, mas os tricolores atingem seu ápice mediante os mais jovens (52,9%), ao cabo que o auge colorado vem na faixa de 45 a 59 anos (37,5%). Por incrível que pareça, a tão fanática torcida do Brasil de Pelotas perde para Lajeadense, Passo Fundo e Caxias entre jovens.

Por escolaridade e renda:

Fig 05

Fig 06

A maior parte dos gremistas completou o Ensino Médio (53,5%), enquanto o Inter atinge o apogeu entre aqueles com Fundamental Completo (37,9%). Todos os entrevistados do Passo Fundo possuíam nível superior (4,4%).

Chama atenção, ainda, a pirâmide invertida que representa o Inter no tocante à renda – onde cresce a cada tabulação. Entre os mais ricos, 42,9% são colorados, faixa em que a Lajeadense também se destaca (4,1%). A maioria dos gremistas se encontra no segundo pelotão de riqueza, de 6 a 10 salários mínimos (52,7%).

Um grande abraço e saudações!

E-mail da coluna: teoriadosjogos@globo.com

Siga @vpaiva_btj

Curtam o Blog Teoria dos Jogos no Facebook!

14 comentários sobre “A Pesquisa da Vez: Rio Grande do Sul/2015 – tabulações exclusivas

  1. Viu como o momento influencia,Vinicius?…Atlético Mineiro na frente do Flamengo…pqp! …momento,cara…tem de levar isso em conta! Faz uma dessas com o Fla campeão brasileiro pra tu ver!

    Cara, ignore tudo que está abaixo de 1%. Nestes níveis, um torcedor – escolhido ao acaso, como fazem as pesquisas – faz diferença. E não representa absolutamente nada da realidade.

  2. Tudo normal, a pesquisa so mostrou a realidade do Rio Grande do SUl! Gremio em primeiro e inter em segundo! Isso não é novidade pra ninguem que é daqui….

  3. Dale gremio imortla tricolor, a pesquisa so afirma o que todos que vivem no estado sabem: Gremio tem a maior torcida! Pra quem é daqui a pesquisa não é “reveladora”, mas pra quem é de fora ela dá um bom panorama de como são as torcidas no estado!

  4. Olá Vinicius, desculpa mas não ficou claro para mim se o instituto foi o mesmo de 2013, pois se sim tu não achas estranho tamanha discrepância ?
    A própria amostragem teve tamanho diferente 1500 e 1200, 300 pessoas são relevantes.
    Sou colorado, meu sentimento é de que o Grêmio tem maior torcida mas não com esta diferença, recentemente (janeiro) fui a Porto Alegre ( moro em Uberlândia-MG) e vi mais camisa do inter do que do Grêmio nas ruas, claro que isso não quer dizer nada, mas a verdade o que mais me surpreende são exatamente duas situações :
    Primeiro é a primeira vez que vejo a torcida do inter ter mais torcedor na faixa de renda mais alta do que na mais baixa, inclusive é estranho pois na escolaridade temos mais torcedores no ensino fundamental, que sabidamente recebem menos.
    Segundo faz 8 anos que o Inter ganhou o Mundial, o que significa que as crianças que tinham entre 8 e 10 anos na época estão agora entre 16 e 18 anos, o que naturalmente deveria crescer a torcida do Inter nesta faixa etária, pois é naquela faixa que as crianças se decidem por qual time torcer e lemos em muitos sites gremistas os pais preocupados com os filhos que estão torcendo pelo Inter ( este parágrafo é mais especulação)
    Ainda assim parabéns pelo trabalho, te acompanho a muito tempo e não deixarei de acompanhar, mesmo que discorde da tua opinião sobre a distribuição dos direitos de transmissão e consequente “espanholização” do campeonato brasileiro rsrsrsr.
    Um abraço.

  5. Respeita-se todos os pontos de vista, mas há um que definitivamente não espelha a realidade. Só quem vive a uma quadra da Baixada sabe a incrível quantidade de jovens torcedores que tem o Xavante. Acredito que a pesquisa pode ser melhor elaborada.

Deixe uma resposta