Análise: O Mapa das Curtidas – Minas Gerais

Após nos debruçarmos sobre dois dos três estados mais plurais em termos de torcidas – Santa Catarina e Paraná – chegou a vez de desembarcar no último vértice deste triângulo. Trata-se de Minas Gerais, quarta maior unidade federativa e segunda mais populosa do Brasil. Um dos berços do país como o conhecemos, cuja diversidade cultural e étnica denota à perfeição nossos contrastes, mazelas e as próprias preferências clubísticas.

Fig 01

De acordo com as curtidas no Facebook, Minas surge como enorme mancha azul celeste no centro do Brasil: Entre seus 853 municípios, 561 são de maioria cruzeirense. Embora faça frente ao Cruzeiro em muitos lugares, em nenhum o Atlético-MG se mostra acima do arquirrival, uma situação inesperada. Em território mineiro, inimigos íntimos são mesmo Flamengo e Corinthians. O rubro-negro predomina nas regiões da Zona da Mata (divisa com o Rio) e onde o Triângulo Mineiro “toca” o estado de Goiás – além de cidades esporádicas nos limites com Espírito Santo e Bahia. Já os corintianos são hegemônicos no Sul de Minas, no Triângulo “paulista” (divisa com São Paulo e Mato Grosso do Sul), além de duas pequenas cidades em pleno Vale do Jequitinhonha.

Um olhar mais apurado sobre Cruzeiro e Atlético:

Fig 02

A diferença entre os arquirrivais é tão flagrante quanto o Blog Teoria dos Jogos sempre sugeriu. Em recente entrevista ao site ESPN FC, este blogueiro afirmou que em Minas, “time do povo” seria o Cruzeiro – especialmente no interior, região onde o equilíbrio se dissiparia em favor do universo estrelado. Situação mais que evidente ao analisarmos o Mapa das Curtidas.

Com exceção das extremidades flamenguistas e corintianas, a torcida do Cruzeiro está presente ou na liderança em quase todas as regiões. Mais: pode-se dizer que o azul celeste transporta fronteiras, verificado em pequenas cidades do outro lado das divisas (Goiás, Espírito Santo e até Bahia). O mesmo não se pode dizer do Galo, restrito a Minas e, em muitos casos, relegado à terceira importância. Curiosamente, o Atlético é curtido em 100% dos 5.564 municípios brasileiros. Em cinco deles, o Cruzeiro não se viu agraciado.

Quanto aos times paulistas:

Fig 03

O nível de difusão da torcida do Corinthians pelo estado de Minas talvez represente uma das grandes surpresas do Mapa das Curtidas do Globoesporte. Os alvinegros só se veem alijados na “meiuca” da região metropolitana de BH, sendo fortemente representados até onde o Flamengo está ausente (Norte de Minas). Em todas as partes, o Timão traz consigo outro grande antagonista: o São Paulo. Em paleta de cores mais suavizada, o Tricolor Paulista se percebe em quase todas as mesorregiões onde há corintianos. O mesmo não se pode dizer de palmeirenses e santistas: O Verdão é terceiro e o Peixe quarto somente em determinadas cidades do Sul e do Triângulo.

Já os times do Rio:

Fig 04

A característica mineira do Mengão é clara. Sua torcida domina as áreas em que o estado faz divisa com outros de maioria rubro-negra. É assim na Zona da Mata (divisa com o próprio Rio), na Triângulo (fronteiriço a Goiás) e nas regiões do Vale do Rio Doce, Mucuri e Jequitinhonha, próximas à Bahia. Adentrou, perdeu. No zonal interior, o Flamengo não só perde espaço para Cruzeiro e Atlético como para o próprio Corinthians.

Quanto aos demais cariocas, estes não correspondem às expectativas – ao menos pelo Facebook. Vasco e Botafogo só aparecem na Zona da Mata, além dos cruzmaltinos em pequenos municípios do Triângulo. O Fluminense, nem isso. Outra grande revelação do “Mapa” foi justamente a distância entre os quase inexistentes tricolores e os representativos botafoguenses na região da Mata. Enquanto o Botafogo detém a segunda torcida em nove municípios (entre eles a importantíssima Juiz de Fora), o Flu é no máximo terceiro em quatro – destaque para Além Paraíba.

O que faltaria para o “Mapa” se tornar pesquisa? Além de ampliar a amostragem na direção de pobres e idosos, necessário seria contemplar o percentual dos que não torcem por time algum. Enquanto a primeira premissa apenas se soluciona através de pesquisas científicas, a segunda foi abordada num exercício pelo leitor Paulo Henrique Salles. Ele planilhou os percentuais das quatro principais torcidas nos 20 maiores municípios mineiros – que respondem por 40% da população. Depois, considerou que 70% da população torça por alguém, projetando conservadora margem de 30% para o “Nenhum”. Daí, auferiu qual seria o tamanho exato dos rivais caso o resto do estado tivesse o mesmo perfil das cidades selecionadas. Eis o resultado:

Fig 05
Clique para ampliar

Com base nos critérios descritos, a torcida do Cruzeiro representaria 26,48% da população de Minas Gerais, frente a 18,64% do Atlético-MG, 6,81% do Flamengo e 5,17% do Corinthians. Panorama absolutamente fiel ao demonstrado por pesquisas sérias no estado.

Um grande abraço e saudações!

E-mail da coluna: teoriadosjogos@globo.com

Siga @vpaiva_btj

Curtam o Blog Teoria dos Jogos no Facebook!

15 comentários sobre “Análise: O Mapa das Curtidas – Minas Gerais

  1. Vinícios,

    Sinceramente, não consigo ver nenhuma possibilidade de extensão dos resultados do facebook para uma possível pesquisa.

    Em primeiro lugar, e esse dado é importantíssimo, o facebook não tem entre seus usuários, ao menos em percentual relevante, pessoas de meia-idade ou idosas. Há torcidas, como a do meu time (Botafogo), que são obviamente prejudicadas por essa pretensa extensão.

    Aliás, sou mineiro de Juiz de Fora e te desafio a encontrar um flamenguista que diga que a torcida rubro-negra é 4x maior que a alvinegra em JF. Claro, temos o viés de olharmos mais pro time que torcemos, mas é bem provável que JF tenha uma configuração perto de 35-40% FLA x 15-20% BOTA. Reconheço, entre os mais jovens, é provável que o percentual seja aquele mesmo…

    Em segundo lugar, alguns clubes, em especial os paulistas, trabalham bem melhor sua penetração nas mídias sociais. É impensável imaginar que o Corinthians tenha o mesmo número de torcedores que o FLA na capital BH ou mesmo no Estado. Quem viaja e conhece Minas Gerais sabe que o flamengo é a terceira torcida com sobras, liderando regiões importantíssimas do Estado como a Zona da Mata (cerca de 1 milhão de habitantes) e o Triângulo mineiro (quase 2 milhões de habitantes). Numa conta grosseira, só nessas regiões o flamengo suplantaria os 560 mil torcedores que lhe foram atribuídos por tal extensão.

    Acompanho todas as suas pesquisas e, claro, as localizadas captam melhor a essência da região e evitam distorções crassas, como a última do Ibope.
    Parece-me que o trabalho do GE sobre o facebook não passa de curiosidade.

    1. ESSAS ANALISES DESSE CARA DESSE BLOG SÃO TUDO LAMBEÇÃO A FAVOR DO CORÍNTHIANS,CARA…. NADA A VER ESSA BABAQUICE. COMPARAR QUALQUER TORCIDA COM A DO FLAMENGO SOA COMO PIADA…ESSE CARA É MALUCO DE GAVETA.

      1. Como pode achar piada? São números oficiais, de uma empresa séria e idônea. São seus argumentos subjetivos contra argumentos pautados em ações reais. Deixe o fanatismo de lado e entenda que seu time parou no tempo, enquanto outro trabalha e forma novos torcedores.

      1. com certeza JUIZ DE FORA tem muito TORCIDA CRUZEIRO E ATLÉTICO com decadência futebol carioca atendência é crescer mais daki ums anos será meio a meio

    2. Perfeito comentário, Rafael. Endosso suas palavras e vou ainda mais além: acho que o “resultado” desse trabalho do GE não passa de uma curiosa mistura da expressão dos humores pessoais (momentâneos e fugazes) e das preferências reais (sentimentos da verdadeira escolha/paixão por um clube de futebol). Jamais poderá ser estabelecida como pesquisa a não ser para propósitos lúdicos ou interesses ideológicos.

      Abraços botafoguenses de Floripa.

  2. Olá Vinicius, acompanho seu trabalho no blog há um bom tempo, tanto aqui quanto na época em que era hospedado no GloboEsporte.com. Sou santista, mas percebo (não sei se é impressão) que aparentemente você tem um certo “prazer” ao explanar as pesquisas que apontam a inferioridade numérica da torcida do Atlético-MG em relação à do Cruzeiro em Minas. Estou errado? Se não, tem algum motivo especial para isso?
    De qualquer forma, parabéns, um abraço.

  3. Ao apontar o que faltaria no mapa para ele se tornar uma pesquisa o autor deixou de citar algo importantíssimo. Embora o levantamento seja muito interessante ele simplesmente ignora os clubes menores. Como desprezar clubes tradicionais como Villa, Tupi, Caldense, Uberlândia, Uberaba, Nacional, URT, Mamoré, Guarani e Democrata(s)? Até o América foi deixado de lado. Isso só enfraquece ainda mais esses clubes tão esquecidos pela grande mídia e abandonados por parte da população de suas cidades.

    Apoie o time da sua cidade/região!

  4. Hêita galim garnisé_percebam q a “massa é uma farsa”… Iludidos pela Itatigaylo, quer comprovar a imensidão Cruzeirense, venha em Minas, interior então kkkkkkkkkk aqui esmagamos esse galim…iludidos… N basta a surra nos títulos, e tudo mais…contra números não há argumentos…

    A história n mente e jamais vai mudar…

    Galim 120 anos e 3 títulos… Kkkkkkkkkk sala de troféus de 1 metro quadrado…kkkkkk

Deixe uma resposta