Audiências num Rio de Janeiro alijado

27/11/2013, data antológica para a TV no Rio de Janeiro. Naquela noite, o maior clube do estado voltava a decidir um título nacional, quatro anos após conquistar o Campeonato Brasileiro. A demanda da torcida do Flamengo fez com que a audiência da vitória sobre o Atlético-PR, pela final da Copa do Brasil, correspondesse às expectativas. Foram 41 pontos com 66% de share (38 com 61% apenas na Globo), os melhores números da década na cidade. Naquela noite, tanto as emissoras quanto a metade da população fluminense foram dormir felizes.

A partir desta última epopeia nacional, eis que os cariocas voltaram a protagonizar uma deprimente figuração. O título de 2013 foi o último de uma série de conquistas  nacionais iniciada em 2006 com o mesmo Flamengo, na mesma Copa do Brasil*. De lá para cá, o torcedor do Rio voltou a conviver com rebaixamentos e desimportâncias. Pior: passou a assistir pela televisão ao protagonismo de clubes de outras regiões.

*Flamengo campeão da Copa do Brasil 2006; Fluminense campeão da Copa do Brasil 2007; Flamengo campeão brasileiro 2009; Fluminense campeão brasileiro 2010; Vasco campeão da Copa do Brasil 2011; Fluminense campeão brasileiro 2012; Flamengo campeão da Copa do Brasil 2013. Nesta série, apenas em 2008 o Rio não levou nenhuma taça nacional.

Uma das características da TV no Rio de Janeiro é a de veicular partidas decisivas envolvendo times de fora, não só pela Band mas também na Globo. Algo que não acontece, por exemplo, em São Paulo – sede de um mercado publicitário que considera filmes ou paulistas remanejados melhores do que jogos de outras praças. Sendo assim, tanto a final mineira da Copa do Brasil de 2014, quanto a final paulista deste ano tiveram transmissões em solo carioca. Com excelentes números, diga-se de passagem. Comparemo-nos:

Atlético-MG x Cruzeiro – 1º jogo final Copa do Brasil 2014 (RJ)

23 pontos de audiência e 41% de share pela Rede Globo (A Band não possuía os direitos do torneio)

Cruzeiro x Atlético-MG  – 2º jogo final Copa do Brasil 2014 (RJ)

29 pontos de audiência e 49% de share pela Rede Globo.

Santos x Palmeiras – 1º jogo final Copa do Brasil 2015 (RJ)

21 pontos com 35% pela Rede Globo, mais 2 com 3% pela Band. Total: 23 pontos com 38%

Palmeiras x Santos – 2º jogo final Copa do Brasil 2015 (RJ)

23 pontos com 39% pela Rede Globo, mais 2 com 4% pela Band. Total de 25 pontos com 43%

As audiências forasteiras no Rio comprovam a tese de que o brasileiro gosta de futebol, mas principalmente de decisões. São, ainda, uma prova de que Rio ou São Paulo são capazes de se igualar ao resto do país, onde capitais importantes como Belo Horizonte ou Porto Alegre se cansam de receber sinais de fora sem prejuízos devastadores em seus números. No caso carioca, uma interessante especificidade aponta para a predileção dos mineiros em detrimento dos paulistas – fato comprovado pelos 29 pontos (49%) daquele Raposa x Galo. Isto pode ser fruto da proximidade Rio-Minas ou uma resposta à negativa rivalidade existente entre a Cidade Maravilhosa e a Terra da Garoa.

Como não poderia deixar de ser, os registros nas praças de origem foram robustamente maiores – com novo destaque para a final mineira. O segundo clássico mineiro de 2014 marcou inacreditáveis 50 pontos com 73% via Globo Minas (Belo Horizonte). Em solo paulistano, Palmeiras x Santos registrou 32 pontos com 49% pela Globo e 7 com 10% na Band, totalizando 39 pontos e 59% de share.

Um grande abraço e saudações!

E-mail da coluna: teoriadosjogos@globo.com

Siga @vpaiva_btj

Curtam o Blog Teoria dos Jogos no Facebook!

2 comentários sobre “Audiências num Rio de Janeiro alijado

Deixe uma resposta