Arquivos da categoria: Uncategorized

Como foi o último jogo da “farra”

Fig 001
Equipe da ESPN acompanha reclamações e entrevista Marcelo Frazão, diretor do Maracanã

Depois que Flamengo e Maracanã anunciaram o endurecimento da fiscalização sobre as meias entradas, presumiu-se um cenário desagradável uma vez que milhares de ingressos haviam sido vendidos sob o regime “convencional”. Ainda que tenha havido reclamações, o receio da barração em massa que caotizasse bilheterias e gerasse transtornos acabou não se configurando. Prevaleceu o bom senso. Já para a próxima rodada, a promessa é de que apenas estudantes se utilizem dos benefícios aos quais estejam habilitados.

Durante o jogo Flamengo x Cruzeiro, todos os setores foram verificados, mas somente no “Maracanã Mais” a nova política foi de fato implementada: não-estudantes tiveram que se dirigir às bilheterias para troca de meias por inteiras. Segundo Marcelo Frazão, diretor de marketing do estádio, mais funcionários serão colocados para ajudar na fiscalização, além do apoio da polícia e da devida preparação por parte do Juizado. Tudo em meio a uma comunicação intensiva, ressaltando o caráter educativo do novo procedimento.

O drama maior reside no expediente criado pelo projeto Nação Rubro Negra, que sempre permitiu a seus adeptos indiscriminadamente pagarem “meia da meia”. Entre sócios-torcedores do Flamengo, a evasão é altíssima – muito acima do verificado entre os “comuns”. É o que demonstra o borderô da partida de ontem:

Flamengo x Cruzeiro – 10/09/2015

Total de ingressos vendidos: 36.844 (desconsideradas 1.695 cortesias)
Inteiras: 15.480 (42%)
Meias: 21.364 (58%)

Total de ingressos comuns: 25.189
Inteiras: 12.421 (49%)
Meias: 12.768 (51%)

Total de ingressos sócios: 11.655
Inteiras: 3.059 (26%)
Meias: 8.596 (74%)

Detalhamento por setor:

Setor Norte: 16.891

Inteiras: 5.373 (32%)
Meias: 11.518 (68%)

torcedor comum: 9.024
Inteiras: 3.877 (43%)
Meias: 5.147 (57%)

sócio torcedor: 7.867
Inteiras: 1.496 (19%)
Meias: 6.371 (81%)

Setor Sul Flamengo: 7.041

Inteiras: 3.590 (51%)
Meias: 3.451 (49%)

torcedor comum: 6.626
Inteiras: 3.382 (51%)
Meias: 3.244 (49%)

sócio torcedor: 415
Inteiras: 208 (50%)
Meias: 207 (50%)

Setor Sul Visitante: 881

Inteiras: 551 (63%)
Meias: 330 (37%)

Setor Leste Inferior: 6.654

Inteiras: 2.999 (45%)
Meias: 3.655 (55%)

torcedor comum: 4.782
Inteiras: 2.278 (48%)
Meias: 2.504 (52%)

sócio torcedor: 1.872
Inteiras: 721 (39%)
Meias: 1.151 (61%)

Setor Oeste Inferior: 3.658

Inteiras: 2.014 (55%)
Meias: 1.644 (45%)

torcedor comum: 3.062
Inteiras: 1.772 (58%)
Meias: 1.290 (42%)

sócio torcedor: 596
Inteiras: 242 (41%)
Meias: 354 (59%)

Setor Maracanã Mais: 1.719

Inteiras: 953 (55%)
Meias: 766 (45%)

torcedor comum: 814
Inteiras: 561 (69%)
Meias: 253 (31%)

sócio torcedor: 905
Inteiras: 392 (43%)
Meias: 513 (57%)

Até por ser mais fácil, em meio aos sócios-torcedores a fiscalização será rigorosa. Como os próprios leitores dos cartões apontam se o ingresso comprado foi de meia entrada, ou o estudante apresentará suas credenciais ou ficará de fora.

Além do Maracanã, o maior interessado no recrudescimento da ação fiscalizatória é o próprio Flamengo. Novamente recorrendo ao borderô, vemos que os 36.844 pagantes de ontem proporcionaram bilheteria de R$ 1.124.447,50, num ticket médio de apenas R$ 30. A título de comparação, no Fla x Flu de domingo passado e sem “meia da meia” (mando do Fluminense), a renda passou de R$ 2,5 milhões, com ticket de R$ 49. Com mando rubro-negro, no primeiro turno o ticket foi de R$ 41.

O fato é: a partir deste final de semana, Flamengo, Fluminense, Vasco e Botafogo cruzarão uma nova fronteira. O potencial de maximização de receitas num período de dificuldades econômicas se une ao cumprimento da lei, mera obrigação num país acostumado a internalizar o que não lhe é de direito. A tão apregoada honestidade se faz através de pequenos gestos, como no uso de benefícios estudantis apenas por parte de quem realmente estuda. Que o carioca abrace este processo de evolução moral.

Um grande abraço e saudações!

E-mail da coluna: teoriadosjogos@globo.com

Siga @vpaiva_btj

Curtam o Blog Teoria dos Jogos no Facebook!

“Elitização do futebol”: um contraponto

Na última sexta-feira, a coluna “Época Esporte Clube”, de autoria do jornalista Rodrigo Capelo – trouxe à tona um velho debate sob nova roupagem. Trata-se da polêmica acerca dos preços cobrados pelo futebol no Brasil, em comparação aos principais mercados futebolísticos concorrentes. Partindo do salário mínimo e do menor preço dos ingressos, o autor conclui que o trabalhador brasileiro é quem precisa trabalhar mais tempo para garantir um lugar no estádio. Com base na torcida cruzeirense, seriam pouco mais de dez horas trabalhadas, contra menos de sete horas em países como Espanha, Inglaterra, Portugal, Itália e Argentina.

Ao expor os números, o autor conclui que os preços no Brasil deveriam ser menores – mesmo que não no estádio inteiro – já que uma “arena se lotaria de baixo para cima”. A afirmação, aparentemente um axioma, se mostra um tanto simplista ao analisar premissas e números com suficiência apenas parcial para a conclusão. Por conta disto, o Blog Teoria dos Jogos elaborou um contraponto na forma deste texto.

Primeiramente, o valor do ingresso mínimo utilizado foi de R$ 50 em partidas do Cruzeiro. Para outros, como o Atlético-PR, o valor chegava a R$ 100. Mas se estes são os respectivos valores mínimos, por que seus tickets médios são tão mais baixos? (clique em “Ingressos”) A resposta reside em expedientes brasileiríssimos como meias-entradas e gratuidades, além dos benefícios proporcionados pelos projetos de sócio-torcedor.

Mesmo que estes elementos tenham sido citados por Capelo no texto (ou seja, não foram de todo ignorados), eles acabaram subestimados. O efeito da lei das meias-entradas, por exemplo, é muito relevante. Na 21ª rodada da Série A, tais ingressos representaram nada menos que 19% das vendas totais – chegando a 56% no Rio de Janeiro, segundo levantamento do Blog:

Fig 01

 

Se o benefício é impertinente ou mal utilizado, é outro debate. Mas só com base nas meias, o preço mínimo a ser considerado já cairia muito. E o que dizer das tantas leis de gratuidades, cortesias e outros benefícios? E os projetos de sócio-torcedor, com mais de um milhão de adeptos entre os heavy users das 20 maiores torcidas? Mesmo não sendo uma exclusividade brasileira, não são todos os países que se valem dos descontos para sócios – na Inglaterra só se vendem carnês. Assim, em detrimento de ingressos e rendas mínimas, seria mais pertinente utilizar o ticket médio dos campeonatos (inferior a R$ 30 no Brasileirão) junto à renda médias dos países.

Em segundo lugar, embora realmente exista uma elasticidade que faça as torcidas responderem positivamente a descontos (algo já muito trabalhado neste espaço), outra característica brasileira é a de responder apenas de imediato ou enquanto existe demanda reprimida. Quando esta é saciada, os adeptos tendem a tomar os preços como dados, ignorando-os. E deixando estádios vazios mesmo a R$ 20 ou R$ 10. Por quê? Porque o problema do futebol brasileiro não reside numa questão de preço, mas de produto. As excelentes médias das novas arenas não nos deixam mentir: nelas o produto melhorou, ainda que tenha ficado mais caro. O que nos afasta da falácia de que os expropriados de baixa renda “compareciam toda quarta e domingo para apoiar o time”.

Um terceiro e último ponto de discordância seria a necessidade de o PROFUT especificar quantos devem ser os ingressos populares e a que preço. Questão de ideologia ou não, parecem sábias as palavras do blogueiro Emerson Gonçalves, do Blog Olhar Crônico Esportivo a este respeito. Segundo ele, “é razoável e até necessário que o Estado legisle. Mas também necessário que clubes de futebol, assim como pessoas, não sejam seus reféns”, pois “mercados livres são sempre mais eficientes” e “a entrada do Estado representa, mais dia, menos dia, a entrada de interesses que manipulam a realidade de acordo com os desejos dos que fazem a política”. É bem por aí.

Equivocam-se os que consideram a queda de preços como solução mágica para retornarmos ao que nunca fomos. De fato parece haver precificações equivocadas em setores da Arena da Baixada, do Grêmio ou do Mineirão. Assim como, para o Palmeiras ou o Maracanã Mais – primeiro setor a esgotar em clássicos no Rio – a medida certa foi subi-los. E nem todo problema é solucionável: se o Corinthians eliminou capacidade ociosa baixando preços na Arena, não há desconto que faça o Fluminense, com 12% da torcida em sua sede, encher uma arena para 78 mil.

Como tudo na vida, preços também se estabelecem na base da tentativa e erro. Poderiam se valer de técnicas mais refinadas, é verdade, mas questões do dia-a-dia também levam à expertise. Em vista das dificuldades, o preço dos ingressos no Brasil das novas arenas parece aos poucos caminhar na direção de um bom termo.

Um grande abraço e saudações!

E-mail da coluna: teoriadosjogos@globo.com

Siga @vpaiva_btj

Curtam o Blog Teoria dos Jogos no Facebook!

Match Day – Chile x Argentina (Final da Copa América)

Header-188BET-728-x-90-Brasileirão1

Fig 0

Foi um final de semana pra lá de especial. Enviado pelo Yahoo Esportes para Santiago, o Blog Teoria dos Jogos teve a honra de estar presente ao Estádio Nacional de Chile, vivenciando uma histórica conquista dos donos da casa sobre a forte seleção argentina. Com isto, pudemos preparar a tradicional análise do match day, nossa segunda em solo internacional (após cobertura da Euro 2012) e primeira na era independente do Blog.

Avaliações desta natureza devem obrigatoriamente começar nos dias que antecedem o evento. É importante que se respire o clima, auferindo expectativas e o envolvimento das pessoas – um grande exemplo foi o engajamento brasileiro durante a Copa 2014. Por chegarmos na noite anterior à finalíssima, alguns pontos se perderam, embora muito ainda se percebesse. Para onde olhávamos, Santiago aparecia “vestida” de Copa América:

Fig 01

Fig 02

Em contrapartida, nenhuma movimentação se verificou em torno da decisão do 3º lugar, entre Peru e Paraguai – a maioria dos bares sequer transmitiu a peleja. Atmosfera transformada por completo com a chegada do sábado:

Fig 03

O frisson entre os chilenos foi tanto que ingressos originalmente vendidos por R$ 200 tinham preço de revenda estimado em inacreditáveis US$ 1 mil. O metrô da cidade, de boa extensão e estrutura física apenas razoável, levava até pouco mais de 1 km do estádio, quando se iniciavam as interdições do entorno. A sensação de chegarmos a uma “cancha” antiga (construída em 1938) e de médio porte (55 mil lugares) aumentava à medida com que nos aproximávamos:

Fig 04

Fig 05

Fig 06

Sem nenhuma reforma aparente, o Estádio Nacional do Chile entrega apenas aquilo a que se propõe: a ambientação para uma partida de futebol. Corredores e banheiros rudimentares remetem ao que se via no Maracanã antes da reforma – não a da Copa, mas a de 1999, quando foram colocadas as primeiras cadeiras.

Fig 07

Fig 08

Por dentro, torcedores proporcionaram um belo colorido vermelho permeado por manchas azuis e brancas. A visibilidade era boa, apesar das arquibancadas se distanciarem pela existência de uma pista de atletismo em volta do gramado. Cadeiras frágeis e desgastadas faziam do espaço para passagem inexistente. Por fim, algo impactante: diversos profissionais (?) assistindo à decisão do alto do telão e da pequena cobertura:

Fig 09

Fig 010

Fig 011

Mesmo havendo quem fomentasse brincadeiras e cânticos de enorme animosidade, a convivência entre chilenos e argentinos se mostrou pacífica – o que não poderia ser garantido em caso de derrota local. Belas demonstrações de respeito deram a tônica em dois momentos: durante o sepulcral “minuto de silêncio” e na hora dos hinos, pois foram distribuídos panfletos que refutavam vaias e fomentavam bons modos.

Fig 012

Veio o jogo. Vieram os pênaltis. Chegou o título!

Fig 013

Em meio à festa dos marmanjos, a imagem que mais tocou ao blogueiro: o choro compulsivo de um pequeno chileno, emocionado, como se na tenra idade já compreendesse a agonia por décadas de desejo e frustrações.

A partir de então, houve de tudo pelas ruas: loucura, carreatas, cânticos, confusão. Eventos reservados a uma cidade que traz em si imensa latinidade – característica à primeira vista menos aparente. O ecoar do “Chi-chi-chi-le-le-le, Viva Chile” só arrefeceu às primeiras horas da manhã.

O Blog Teoria dos Jogos agradece e saúda o portal Yahoo Esportes, fonte de pesquisas e informações, difusor de conhecimentos e amenidades. Entre elas a Copa América, entre elas o futebol. A mais importante entre as coisas menos importantes da vida. Ou o contrário.

Um grande abraço e saudações!

E-mail da coluna: teoriadosjogos@globo.com

Siga @vpaiva_btj

Curtam o Blog Teoria dos Jogos no Facebook!

Soy loco por ti América

Header-188BET-728-x-90-Brasileirão1

Apesar de todas as decepções que o futebol vem nos reservando recentemente (dentro e fora de campo), creio que a maioria concorda que este continua sendo o melhor e mais belo esporte que há. Isto faz com que nossa paixão não arrefeça, pelo contrário. Temos ainda mais gana para criticar construtivamente, aprender e admirar o muito do bom futebol que ainda se joga se joga por aí – infelizmente fora do território nacional.

Com base neste ponto de vista, e a convite do Yahoo, é com muita alegria que o Blog Teoria dos Jogos embarca hoje para Santiago, no Chile, onde acompanharemos a grande final da Copa América entre os anfitriões e o supertime da Argentina. Tentaremos postar de lá, embora não se saiba com que facilidade. Para os interessados em conhecerem todo o clima de uma partida tão importante – além das já tradicionais análises do match day – recomendo acompanharem nossas mídias sociais: Twitter e Facebook.

Um grande abraço, saudações e até a volta!

Y-BTJ

Post patrocinado: Aposte na nona rodada do Brasileirão

Header-188BET-728-x-90-Brasileirão1

A nona rodada do Campeonato Brasileiro começa neste sábado com o Sport surpreendendo a todos na primeira posição da tabela, enquanto Vasco, Flamengo e Coritiba lutam para se afastar da zona do rebaixamento. No domingo, a emoção fica por conta dos clássicos entre Palmeiras x São Paulo e Flamengo x Vasco. Vamos procurar aqui no 188BET as melhores apostas online para esta rodada.

O Sport vai precisar se superar se quiser se manter na liderança do Brasileirão após a nona rodada, pois vai enfrentar um adversário que se destaca quando joga em casa, a Chapecoense. O time catarinense venceu 3 dos 4 jogos que fez na Arena Condá contra Joinville, Santos e Coritiba, sendo a única derrota contra o vice-líder São Paulo. Além disso, no último jogo a Chapecoense surpreendeu a todos vencendo o Cruzeiro fora de casa, o que colocou o time na nona colocação. Já o Sport vem de vitória em casa sobre o lanterna Vasco, mas ainda não venceu fora de casa, com 3 empates em 3 jogos.

A Chapecoense é a favorita para vencer nesta partida com cotação de 1.85, contra 4.30 para uma vitória do Sport e 3.25 para o empate. Em dois dos três jogos que fez como visitante, o Sport marcou dois gols, enquanto a Chapecoense marcou ao menos um gol em três dos quatro jogos que fez em casa. Apesar de não ter Cleber Santana para este jogo, é provável que o jogo tenha muitos gols, o que faz a aposta “acima de 2” a 1.84 uma boa aposta, pois temos 84% de lucro sobre o valor apostado se o jogo tiver 3 ou mais gols. Se forem marcados exatamente dois gols, a aposta é devolvida.

O domingo será marcado por dois grandes clássicos do futebol brasileiro. Em São Paulo, o Palmeiras, 13º colocado, tentará sair desta desconfortável posição ao receber o São Paulo, que é o vice-líder do campeonato e com uma vitória pode assumir a liderança isolada da competição, enquanto uma derrota pode tirar o tricolor do G4. No Rio de Janeiro, o clássico será entre dois times desesperados por vitórias, pois o Flamengo está na 17ª colocação querendo sair do Z4 com uma vitória, enquanto o Vasco ainda não venceu um único jogo na competição e é o último colocado com apenas 3 pontos.

No 188BET o Palmeiras é favorito para vencer em casa com cotação de 2.28, contra 3.00 para a vitória tricolor e 3.20 para o empate. Sem muita margem para erro em relação a seus objetivos no campeonato, podemos esperar os dois times buscando a vitória a todo momento, com o tricolor usando uma tática ofensiva com seu novo treinador, o que pode significar um jogo de muitos gols. A aposta “Acima de 2 gols” a 1.79 pode ser a melhor aposta também para este jogo, pois se exatamente dois gols forem marcados temos a aposta devolvida. No clássico carioca o favorito é o Flamengo, com a cotação de 2.00 para a vitória, contra 3.75 para uma vitória do Vasco e 3.15 para o empate. Com Sheik querendo mostrar serviço em seu retorno ao clube e o rival em momento de grande dificuldade. Apostar em “Flamengo -0.5” a 2.07 pode ser a melhor opção aqui, pois precisamos apenas que o rubro-negro vença o lanterna do campeonato.

Aproveite as apostas em futebol que o 188BET oferece e apimente ainda mais a rodada, podendo ganhar dinheiro de verdade. Bom divertimento e boa sorte!

*Cotações corretas no momento da redação 

Post Patrocinado: Aposte na partida entre Brasil e Venezuela

Header-188BET-728-x-90-Brasileirão1

A situação no grupo do Brasil, pela Copa América, está totalmente indefinida, com os quatro times empatados com os mesmos 3 pontos. Após perder para a Colômbia e ainda perder Neymar para o resto da competição, o Brasil joga a vida contra a Venezuela, tradicional freguês da seleção brasileira, mas que já mostrou ser competitiva ao derrotar a Colômbia na estreia. Vamos encontrar no 188BET, um dos sites de apostas online mais confiáveis do mundo, as melhores apostas para esta importante partida no domingo.

O substituto de Neymar no time titular do Brasil provavelmente será Robinho, que tem as mesmas características do craque do Barcelona, mas dificilmente vai conseguir substituí-lo a altura. Com o time enfraquecido, as chances da Venezuela aumentam, e automaticamente as cotações da vitória do Brasil também aumentam, o que pode ser uma boa oportunidade para lucrar. A vitória do Brasil está cotada a 1.56 no 188BET, enquanto uma possível vitória da Venezuela paga a cotação de 6.20, e o empate, que praticamente colocaria as duas equipes na próxima fase, cotada a 3.70.

Para aqueles mais otimistas e que acreditam que o Brasil pode superar a ausência de seu maior astro, o mercado de handicap asiático pode ser uma boa opção de aposta. Neste mercado, aposta “Brasil -1” paga 2.06 e gera 106% de lucro caso o Brasil vença por dois gols ou mais de diferença, porém se a vitória for por um gol de diferença a aposta é devolvida. Para os pessimistas, apostar em “Venezuela +1” a 1.86 é o caminho, pois temos lucro caso a Venezuela vença ou empate, e temos o valor da aposta devolvido caso a Venezuela perca por apenas um gol.

O mercado de gols também pode ser promissor nessa partida, pois o empate em 0x0 pode ser perigoso para as duas equipes, então apenas se defender não é o caminho para ninguém. A Venezuela provavelmente irá tentar explorar o mau bom momento da seleção brasileira e vai atacar, motivado pela vitória sobre a Colômbia. No 188BET a aposta “Acima de 2/2.5 gols” paga 1.91 e é vencedora caso haja 3 gols ou mais na partida. Se houver exatamente dois gols, metade da aposta é devolvida.

Você também pode tentar adivinhar quais jogadores marcarão gols nesta partida, e as cotações deste mercado são sempre muito boas. Para Robinho marcar um gol, por exemplo, a cotação é de 2.50, mesma cotação para o gol de Firmino. Do lado da Venezuela o favorito para marcar é Rondon, com cotação de 3.50.

Entre agora mesmo no 188BET e registre-se para aproveitar toda a diversão que as apostas em futebol tem para oferecer, além da possibilidade de ganhar dinheiro de verdade. Bom divertimento e boa sorte!

O valor das Marcas 2015 – Entrevista com Pedro Daniel (BDO)

Header-188BET-728-x-90-Brasileirão1

Certamente a publicação mais aguardada no que tange ao valuation dos clubes no país é elaborada pela BDO Brazil. Trata-se do “Valor das Marcas – 30 clubes brasileiros”, que este ano trouxe à tona uma importantíssima reversão no topo do ranking. Sai o Corinthians, histórico ocupante da condição de marca mais valiosa do Brasil, entra o Flamengo. Ainda que em situação de literal empate técnico, a verdade é que pela primeira vez o Rubro-Negro não vê nenhum outro clube à sua frente. Trata-se da cereja do bolo em meio ao processo de reconstrução da reputação do clube da Gávea.

A título de informação, o novo ranking ficou assim:

Fig 01

Pela ótica da BDO, apesar da brutal crise econômica, a desvalorização passou longe do futebol brasileiro. Prova disto foi que as trinta maiores marcas vivenciaram aumento de 13%, saindo do total de R$ 7,13 bilhões em 2014 para R$ 8,06 bilhões. Se o recorte for 2011 para cá, a valorização atinge incríveis 82%. Entre os trinta clubes, apenas sete viram seus números minguarem na comparação com o ano passado: Corinthians, Santos, Náutico, Ponte Preta, Guarani, Atlético-GO e Fortaleza.

Leiam também: Brasil goleia Senegal e chega à final do Mundial Sub-20

Para entender melhor critérios e pontos de vista de quem elaborou o estudo, o Blog Teoria dos Jogos conversou com Pedro Daniel, Sports Manager da BDO Brazil, a quem desde já agradecemos a entrevista:

Blog Teoria dos Jogos – Conte-nos um pouco a respeito dos critérios utilizado pela BDO na versão 2015 da análise “O Valor das Marcas”.

Pedro Daniel – Baseamos nossa análise em mais de 20 critérios, desmembrados em 3 grandes pilares: Torcida – Que seria toda a gama de consumidores dos clubes / Receita – Tudo o que o clube consegue converter em receita. Ex: Quanto uma empresa paga para estampar o uniforme de um clube? Quanto a televisão paga para transmitir suas partidas? / Mercado – Em que cenário o clube está inserido. É um local desenvolvido? Poder de compra é compatível?

BTJ – Segundo o estudo “Brand Finance Football 50”, realizado por uma consultoria britânica, a marca mais valiosa do Brasil seria a do São Paulo, valendo meros US$ 95 milhões (R$ 296 milhões). O segundo posto pertenceu ao Corinthians, com US$ 79 milhões (R$ 246 milhões). Qual a razão de tamanho descolamento entre as avaliações?

PD – Tanto Brand Finance, Forbes, Interbrand quanto a BDO, têm metodologias distintas de valorar a marca dos clubes. Algumas consideram os ativos fixos, outras analisam o endividamento, o tamanho da torcida, engajamento nas mídias sociais, sucesso dentro de campo, etc. Na nossa avaliação, desconsideramos ativos fixos e endividamento.

BTJ – O que pesou a favor do Flamengo (ou contra o Corinthians) que levou à situação de empate técnico entre as duas marcas – com ligeira vantagem rubro-negra?

PD – O Flamengo teve em 2014 a maior receita com patrocínio do país, maior cota de televisão e tem sua torcida pulverizada por quase todo o país. Além disso, nos dois últimos anos teve a maior receita sem transferência de atletas do Brasil.

BTJ – Apesar do péssimo ano em campo, o Palmeiras foi o único paulista a apresentar crescimento. Dadas as atuais condições, a estagnação de Corinthians e São Paulo seria pontual ou os mesmos bateram no limite de seus valores? Como o Santos pode reverter a tendência de queda verificada desde a saída de Neymar?

PD – O limite está bem longe do valor atual. O potencial de crescimento ainda é enorme! O Corinthians e o São Paulo, nos dois últimos anos, tiveram redução de receita. O São Paulo está sem patrocinador master por um período considerável e o Santos vive período de “ressaca pós Neymar”. O Santos tem que fazer um trabalho mais profundo pois o período Neymar foi uma exceção e não a regra da história do clube.

BTJ – Sob a ótica dos “doze grandes”, o expressivo resultado do Flamengo é contrabalanceado pelas últimas posições ocupadas por Vasco, Fluminense e Botafogo. Você concorda com a tese (um tanto polêmica) de que a cidade do Rio de Janeiro não comportaria quatro grandes clubes?

PD – Discordo dessa tese. A cidade do Rio é uma metrópole mundial, com mais de 6 milhões de habitantes, mercado desenvolvido, etc. Comparo o Rio de Janeiro com Milão, Londres e, inclusive, São Paulo que são cidades com pelo menos 2 grandes clubes.

BTJ – Apesar dos títulos e da condição de referência em certas ações de marketing (ex: sócio-torcedor), o Internacional vem reiteradamente se encontrando abaixo do Grêmio em valor de mercado. Por quê?

PD – O Grêmio teve uma receita de patrocínio superior à do Inter, além de um grande engajamento nas suas lojas oficiais, hamburgueria, paletas mexicanas e todas suas receitas com licenciamento. Tem também o fato de a nova arena do Grêmio já ter sido explorada por mais tempo que o novo Beira-Rio

BTJ – Que motivos fizeram o Cruzeiro crescer tão mais do que o Atlético-MG na comparação com a edição anterior do estudo?

PD – O Cruzeiro teve, pelo segundo ano seguido, a maior receita com bilheteria do país, além da maior média de público da série A. Além disso é o atual bicampeão nacional e tem um sócio-torcedor bem desenvolvido se comparado ao rival.

BTJ – No médio prazo, é concebível a algum clube do Nordeste desbancar integrantes do top-12 ou trata-se de uma realidade imutável? Que vantagens a marca do Bahia leva sobre a do Sport Recife?

PD – É possível sim. Os clubes do Rio Grande do Sul são bons exemplos. Mesmo não estando localizados nas principais praças do país (São Paulo e Rio de Janeiro), ativam suas marcas de maneira diferenciada, valorizando-as. O Bahia é o clube do Nordeste com a maior torcida, maior receita e é um dos que, com um bom trabalho de marketing, pode sim entrar no seleto rol dos 12 clubes mais valiosos do Brasil.

Um grande abraço e saudações!

E-mail da coluna: teoriadosjogos@globo.com

Siga @vpaiva_btj

Curtam o blog Teoria dos Jogos no Facebook!

Post Patrocinado: Aposte na estreia do Brasil na Copa América

Header-188BET-728-x-90-Brasileirão1

A Copa América de 2015 começou esta semana no Chile e o Brasil estreia neste domingo contra o Peru. Para apagar a má impressão deixada após a Copa do Mundo no ano passado, o novo técnico da seleção, Dunga, vai apostar suas fichas nesta competição, e você pode apostar online as partidas pelo site 188BET.

Após 10 jogos e 10 vitórias, sofrendo apenas dois gols e devolvendo ao torcedor brasileiro a confiança na seleção, chegou a hora da verdade para Dunga e seus jogadores. Com uma Copa América que tem tudo para ser complicada por ter seleções muito fortes como Argentina, Chile, Uruguai e Colômbia pela frente, o Brasil precisará mostrar todo o seu futebol se quiser chegar ao título.

O primeiro jogo será contra o Peru, seleção que não tem muitas esperanças de ir longe na competição, mas que tem talentos individuais importantes como Pizarro, Farfan e Paolo Guerrero. No último amistoso que fez antes da Copa América, o Peru empatou em 0x0 com o México, adversário que o Brasil venceu com facilidade por 2×0 também em amistoso.

A cotação para vitória do Brasil é de 1.28, contra 8.30 para a vitória peruana e 5.80 para que o jogo termine em empate. Isto significa que teremos 28% de lucro apostando no Brasil, caso a seleção brasileira tenha sucesso em seu jogo de estreia – apostando 100 reais se transformam em 128 reais. Para os mais otimistas, a aposta “Brasil -1.5” pode ser a melhor opção, pois paga uma cotação bem mais alta, de 1.97. Nesta aposta temos lucro caso o Brasil vença por dois gols ou mais de diferença.

Além de apostar no vencedor da partida também podemos explorar o mercado de gols. Para esta partida temos disponível no 188BET a aposta “Acima de 2.5 gols” a 1.71, ou seja, se tivermos 3 gols ou mais, independente de qual dos times marcar, temos 71% de lucro. O Brasil marcou 21 gols nos últimos 10 jogos, e agora jogará com ainda mais entusiasmo, portanto esta pode ser uma grande aposta.

Outro mercado muito popular e que pode ser muito divertido é o de “Jogador a Marcar”, onde você pode tentar advinhas quem marcará o primeiro gol, o último gol, ou se um jogador vai marcar a qualquer momento. Para este jogo a cotação para o Neymar marcar o primeiro gol da partida é de 3.25, cotação bastante alta que nos renderia um lucro de 225%! Para os mais ousados, a aposta Paolo Guerrero para marcar a qualquer momento paga 5.50, ou seja, 450% de lucro!

Registre-se no 188BET e aproveite a Copa América para se divertir e lucrar acompanhando os melhores jogos com as apostas online.

Post Patrocinado: Aposte online na 3ª rodada do Brasileirão

Header 188BET 728 x 90

As apostas esportivas online já são uma realidade no Brasil e no mundo. Cada vez mais pessoas que gostam de esportes descobrem este mundo que já é antigo na maioria dos países da Europa, Ásia e América do Norte, tornando a experiência de acompanhar seus esportes favoritos ainda mais emocionante, divertido e até mesmo lucrativo. Vamos ver neste artigo como funcionam as apostas e como começar a apostar online no 188BET, um dos sites de apostas mais famosos e seguros do mundo, patrocinadora oficial de Liverpool e Manchester City.

O primeiro passo para ter sucesso e uma experiência agradável com apostas esportivas online é escolher bem o site onde apostar. Alguns sites não trabalham com bancos brasileiros, o que torna o processo de depósito e saque mais difícil e burocrático, portanto escolher um site como o 188BET, que permite depósitos através de boleto bancário, transferência bancária, cartões de crédito entre outras formas de depósito é fundamental para evitar dor de cabeça. Para sacar é ainda mais importante que você escolha um banco que deposite diretamente em sua conta bancária, sem burocracia e sem demora, como o já mencionado 188BET.

Após fazer seu depósito, é hora de apostar, mas para isso é necessário entender como funcionam as apostas e as cotações, que são as probabilidades que o site oferece para determinado evento acontecer. Como exemplo, vamos analisar as opções de apostas para o jogo Fluminense x Corinthians, válido pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro. Abaixo, temos as cotações para a vitória de cada equipe:

1888888888

Como vemos na imagem, a cotação para a vitória do Fluminense é de 2.50, o empate está cotado a 3.00 e a vitória do Corinthians tem cotação de 2.85. Para saber quanto você pode ganhar com cada aposta, basta você multiplicar o valor da sua aposta pela cotação. Por exemplo, se você acredita que o Fluminense vai conseguir vencer o Corinthians e quiser apostar 100 reais, seu retorno será de 250 reais (100 reais da aposta multiplicado pela cotação de 2.50). Assim, caso o Fluminense de fato vencesse o Corinthians, você teria um lucro de 150 reais (ou 150%).

Mas não é só no vencedor que você pode apostar no 188BET, existe uma variedade enorme de mercados para você escolher a melhor opção para cada jogo, como apostar na quantidade de gols marcados, no placar exato da partida, em quem vai vencer antes do intervalo, e várias outras opções. Como exemplo, vamos colocar o mercado de gols para o jogo entre Atlético Paranaense e Atlético Mineiro:

1888888888

A aposta acima significa que caso o jogo tenha 3 ou mais gols marcados, independente de quem marque estes gols, a aposta “Acima de 2.5” é vencedora. Caso o jogo tenha 2 ou menos gols marcados, a aposta vencedora será “Abaixo de 2.5”. Apostar que neste jogo terá no mínimo 3 gols significa apostar em uma cotação de 2.14, ou seja, 114% de lucro em caso de acerto.

Registre-se no 188BET e aproveite o bônus de até 188 reais oferecido para novos apostadores como forma de boas vindas para você aproveitar ainda mais as apostas esportivas, como as apostas em quem vai vencer o intervalo e o jogo todo. Assista ao vídeo abaixo e entenda como este mercado funciona.

Bom divertimento e boas apostas!

Evasão de renda na Copa do Brasil?

Havia uma interessante expectativa em torno do jogo entre Salgueiro e Flamengo, pela 2ª fase da Copa do Brasil. O chamado “Carcará” – força em ascensão no futebol pernambucano – fazia o que se considerava a maior partida de sua breve década de história. O Flamengo, enorme onde quer que passe, arrastou multidões desde o desembarque em Juazeiro do Norte (Ceará) até o sertão pernambucano. Havendo ainda dúvidas quanto ao seu desempenho, por conta da eliminação diante do Vasco no Campeonato Carioca.

Em campo deu a lógica: Fla 2 x 0, classificação garantida pela regra das primeiras etapas da Copa do Brasil. A mesma que diz que o mandante só fica com 100% da renda caso garanta o jogo de volta. Se não acontecer (como ontem), o visitante abocanha nada menos que 60% da renda da partida.

E que renda. Acostumado a cobrar até R$ 3 pelos ingressos, ontem o Salgueiro capitalizou em grau máximo. Cobrando R$ 100 da sua torcida (primeiro lote) e R$ 200 dos visitantes (2º lote, também destinado aos locais), o clube poderia até entrar para o ranking das maiores rendas da história do futebol pernambucano – lista dominada pelo trio da capital. Infelizmente, ao final da partida estes recursos se tornaram fruto de discórdia entre as diretorias.

Tudo porque o borderô oficial teria apontado meros 4.900 pagantes em meio a 12.000 ingressos postos à venda. Mesmo com um Cornélio de Barros quase lotado. Segundo o Globoesporte.com, diante da possibilidade de evasão de renda, o chefe de segurança do Flamengo não recolheu os 60% a que tinha direito, prometendo reclamação formal diante da CBF.

A título de comparação, o Blog Teoria dos Jogos selecionou imagens do último jogo do Salgueiro como mandante, domingo passado, diante do Sport. Válida pelas semifinais do Campeonato Pernambucano, a partida também recebeu excelente público – oficialmente 9.307 pagantes (renda de R$ 137.660,00).

Fig 01

Agora as imagens de ontem, frente ao Flamengo.

Fig 02

O comparecimento da torcida do Salgueiro pareceu o mesmo, sendo a única diferença o maior número de flamenguistas (quando comparados aos visitantes do Sport). Em compensação, o espaço destinado aos visitantes era maior, acarretando certo espaço vazio. Durante a transmissão, percebeu-se que a maior parte dos rubro-negros se infiltrou entre os carcarás, a quem os ingressos saíram mais em conta.

Na manhã de hoje, jornalistas locais divulgaram que o público teria sido de 7.553 pagantes, com renda de R$ 570.200,00. Segundo os mesmos, a razão da discórdia seria a recusa do Flamengo em assinar o recibo para retirada do dinheiro.

Ao falarmos de centenas de milhares de reais, é imprescindível que não haja qualquer dúvida com relação ao rateio – um direito dos clubes. Até a publicação deste texto, o borderô oficial não havia sido publicado no site da CBF, como de costume. Parecem haver poucas evidências que justifiquem discrepâncias muito grandes entre o número de pagantes.

Com a palavra, as autoridades.

Um grande abraço e saudações!

E-mail da coluna: teoriadosjogos@globo.com

Siga @vpaiva_btj

Curtam o Blog Teoria dos Jogos no Facebook!