Arquivo da tag: Seleção Brasileira

As maiores rendas da história – atualização 2014

Em pleno pós-Copa, seria natural que houvesse radicais modificações no ranking de maiores rendas da história do futebol brasileiro – ou do futebol jogado no Brasil. O Mundial foi um sucesso de bilheteria, e não se pagava menos de R$ 160 por qualquer ingresso seja qual fosse a sede. Infelizmente, inúmeros recordes não puderam ser contabilizados, já que a FIFA não divulga a arrecadação de bilheteria das partidas sob sua tutela.

Por conta disso, foram poucas as alterações, sendo que uma delas aconteceu anteontem. Sim, o Galo Mineiro – agora campeão da Recopa Sul-Americana – sobra na turma: detentor da maior bilheteria de todos os tempos (final da Libertadores 2013) e da quarta maior, contando apenas partidas interclubes. Vejamos o novo ranking:

RANKING EM JOGOS ENTRE CLUBES

1) Atlético-MG 2 x 0 Olímpia – Mineirão (MG) – 24/07/2013 – Público: 56.557 – Renda:  R$ 14.176.146,00 – Final Libertadores 2013;

2) Flamengo 2 x 0 Atlético-PR – Maracanã (RJ) – 27/11/2013 – Público: 57.991 – Renda: R$ 9.733.785,00 – Final Copa do Brasil 2013;

3) Santos 0 x 0 Flamengo – Mané Garrincha (DF) – 26/05/2013 – Público: 63.501  – Renda: R$ 6.948.710,00 – Brasileirão 2013;

4) Atlético-MG 4 x 3 Lanús – Mineirão (MG) – 23/07/2014 – Público: 54.786 – Renda: R$  5.732.930,00 – Recopa 2014;

5) Cruzeiro 3 x 0 Grêmio – Mineirão (MG) – 10/11/2013 – Público: 56.864 – Renda: R$ 5.231.711,00 – Brasileirão 2013;

6)  São Paulo 2 x 1 Internacional – Morumbi (SP) – 05/08/2010 – Público: 57.113  – Renda 4.484.282,25 – Semifinal Libertadores 2010;

7)  Santos 2 x 1 Peñarol – Pacaembu (SP) – 22/06/2011 – Público: 37.894  – Renda: R$ 4.266.670,00 – Final Libertadores 2011;

8 ) Vasco 0 x 1 Flamengo – Mané Garrincha (DF) – 14/07/2013 – Público: 61.767 – Renda: R$ 4.071.170,00 – Brasileirão 2013;

9)  São Paulo 2 x 0 Tigre – Morumbi (SP) – 12/12/2012 – Público: 67.042 – Renda: R$ 3.942.800,00 – Final Copa Sul-americana 2012;

10)  Fluminense 3 x 1 LDU – Maracanã (RJ) – 02/07/2008 – Público 78.918 – Renda: R$ 3.910,044,00 – Final Libertadores 2008;

Obs1: Partidas recém incluídas no ranking estão em negrito.

Obs2.: Os valores expressam a renda bruta de partidas na história recente do nosso futebol, não sendo corrigidos pela inflação. O objetivo deste levantamento é justamente a comparação intertemporal de valores, evidenciando a majoração dos preços ao longo dos anos 

Outro destaque vai para o grande papel do Mineirão, estádio responsável por três das cinco maiores rendas históricas. O ponto negativo vai para São Paulo, que sequer ocupa o top-5. Lembrando que a Arena Corinthians – sobre a qual se depositavam inúmeras esperanças de bilheterias milionárias – já foi inaugurada, não tendo ultrapassado os R$ 3 milhões em nenhuma ocasião. Por fim, outra ressalva: as reinaugurações da Arena Grêmio e do Beira-Rio certamente ocupariam lugar no ranking acima. Contudo, por não terem sido partidas oficiais, foram dispensadas da publicação das bilheterias, algo que infelizmente pareceu conveniente aos clubes gaúchos.

Já o ranking das maiores rendas em jogos da Seleção teve apenas uma modificação, justamente na ponta. Foi no penúltimo amistoso preparatório antes da Copa do Mundo, este sim jogado na maior cidade do país: 

RANKING EM JOGOS DA SELEÇÃO

1) Brasil 1×0 Sérvia – Morumbi (São Paulo/SP) – 6/6/2014 – Público: 63.280 – Renda: R$8.693.940,00 –Amistoso

2) Brasil 2 x 2 Inglaterra – Maracanã (RJ) – 02/06/2013 – Público: 57.280 – Renda: R$ 8.615.730,00 – Amistoso;

3) Brasil 3 x 0 França – Arena Grêmio (RS) – 09/06/2013 – Público: 51.643 – Renda: 6.833.515,00 – Amistoso;

4)  Brasil 0 x 0 Argentina – Mineirão (MG) – 18/06/2008 – Público: 52.527 – Renda: 6.605.255,00 – Eliminatórias Copa 2010;

5)  Brasil 1 x 0 Romênia – Pacaembu (SP) – 07/06/2011 – Público: 30.059 – Renda : R$ 4.357.705,00 – Amistoso;

6)  Brasil 4 x 2 Chile – Pituaçu (BA) – 09/09/2009 – Público: 30.370 – Renda: R$ 4.350.425,00 – Eliminatórias Copa 2010;

7)  Brasil 2 x 1 Paraguai – Arruda (PE) – 10/06/2009 – Público: 55.252 – Renda: R$ 4.322.555,00 – Eliminatórias Copa 2010;

8 )  Brasil 2 x 1 Uruguai – Morumbi (SP) – 21/11/2007 – Público 65.379 – Renda: R$ 4.321.225,00 – Eliminatórias Copa 2010;

9) Brasil 6 x 0 Austrália – Mané Garrincha (DF) – 07/09/2013 – Público: 40.428 – Renda: R$ 3.751.640,00 – Amistoso;

10)  Brasil 2 x 2 Chile – Mineirão (MG) – 25/04/2013 – Público: 53.331 – Renda: R$ 3.255.205,00 – Amistoso;

Portanto, o ranking agregado ficou assim:

RANKING AGREGADO (SELEÇÃO + CLUBES)

1) Atlético-MG 2 x 0 Olímpia – Mineirão (MG) – 24/07/2013 – Público: 56.557 – Renda: R$ 14.176.146,00 – Final Libertadores 2013;

2) Flamengo 2 x 0 Atlético-PR – Maracanã (RJ) – 27/11/2013 – Público: 57.991 – Renda: R$ 9.733.785,00 – Final Copa do Brasil 2013;

3) Brasil 1×0 Sérvia – Morumbi (São Paulo/SP) – 6/6/2014 – Público: 63.280 – Renda: R$ 8.693.940,00 – Amistoso

4)  Brasil 2 x 2 Inglaterra – Maracanã (RJ) – 02/06/2013 – Público: 57.280 – Renda: R$ 8.615.730,00 – Amistoso;

5)  Santos 0 x 0 Flamengo – Mané Garrincha (DF) – 26/05/2013 – Público: 63.501 – Renda: R$ 6.948.710,00 – Brasileirão 2013;

6)   Brasil 3 x 0 França – Arena Grêmio (RS) – 09/06/2013 – Público: 51.643 – Renda: 6.833.515,00 – Amistoso;

7)   Brasil 0 x 0 Argentina – Mineirão (MG) – 18/06/2008 – Público: 52.527 – Renda: 6.605.255,00 – Eliminatórias Copa 2010;

8 ) Atlético-MG 4 x 3 Lanús – Mineirão (MG) – 23/07/2014 – Público: 54.786 – Renda: R$  5.732.930,00 – Recopa 2014;

9) Cruzeiro 3 x 0 Grêmio – Mineirão (MG) – 10/11/2013 – Público: 56.864 – Renda: R$ 5.231.711,00 – Brasileirão 2013;

10)  São Paulo 2 x 1 Internacional – Morumbi (SP) – 05/08/2010 – Público: 57.113 – Renda 4.484.282,25 – Semifinal Libertadores 2010;

Por fim, o ranking de maiores ticket médios da história, que passou a ter o Brasil x  Servia como integrante. Por pouco o jogo do Galo anteontem (Ticket de R$ 104) não entrou para a lista:

MAIORES TICKET MÉDIOS DA HISTÓRIA

1)Atlético-MG 2 x 0 Olímpia – Mineirão (MG) – 24/07/2013 – Público: 56.557 – Renda:  R$ 14.176.146,00 – Final Libertadores 2013 – Ticket: R$ 250; 

2) Flamengo 2 x 0 Atlético-PR – Maracanã (RJ) – 27/11/2013 – Público: 57.991 – Renda: R$ 9.733.785,00 – Final Copa do Brasil 2013 – Ticket R$ 167;

3) Brasil 2 x 2 Inglaterra – Maracanã (RJ) – 02/06/2013 – Público: 57.280 – Renda: R$ 8.615.730,00 – Amistoso – Ticket: R$ 150;

4) Brasil 1 x 0 Romênia – Pacaembu (SP) – 07/06/2011 – Público: 30.059 Renda : R$ 4.357.705,00 – Amistoso–Ticket: R$ 145;

5) Brasil 4 x 2 Chile – Pituaçu (BA) – 09/09/2009 – Público: 30.370  Renda: R$ 4.350.425,00 – Eliminatórias Copa 2010– Ticket: R$ 143; 

6) Brasil 1×0 Sérvia – Morumbi (São Paulo/SP) – 6/6/2014 – Público: 63.280 – Renda: R$8.693.940,00 –Amistoso – Ticket: R$ 137;

7) Brasil 0 x 0 Argentina – Mineirão (MG) – 18/06/2008 – Público: 52.527 Renda: 6.605.255,00 – Eliminatórias Copa 2010 – Ticket: R$ 125;

8 ) Brasil 3 x 0 França – Arena Grêmio (RS) – 09/06/2013 – Público: 51.643 – Renda: 6.833.515,00 – Amistoso –Ticket: R$119;

9) Santos 2 x 1 Peñarol – Pacaembu (SP) – 22/06/2011 – Público: 37.894  Renda: R$ 4.266.670,00 – Final Libertadores 2011– Ticket: R$ 112;

10) Santos 0 x 0 Flamengo – Mané Garrincha (DF) – 26/05/2013 – Público: 63.501 – Renda: R$ 6.948.710,00 – Brasileirão 2013  – Ticket: R$ 109;

Por fim, não custa lembrar: os rankings acima são um acompanhamento elaborado exclusivamente pelo Blog Teoria dos Jogos. Diversos são os grandes portais de internet que fazem o Ctrl+C/Ctrl+V sem qualquer constrangimento e citação. Recuse imitações!

Um grande abraço e saudações!

E-mail da coluna: teoriadosjogos@globo.com

Siga @vpaiva_btj

Curtam o blog Teoria dos Jogos no Facebook!

Audiências de uma Copa valiosa

Quem acompanhou o Blog Teoria dos Jogos sabe que uma de suas especialidades é o monitoramento das audiências televisivas do futebol – esporte cujos recursos movimentam cifras bilionárias no mercado interno. Para que se tenha uma ideia, estima-se que cada cota de patrocínio da TV Globo tenha custado R$ 180 milhões. Com oito delas vendidas (sendo cinco para parceiros globais da FIFA), a Vênus Platinada teria arrecadado quase R$ 1,5 bilhão de dólares. Por que as empresas pagam tanto? Porque o nível da exposição em mídia de suas marcas (mensurado através das referidas audiências) justifica o investimento.

Por se tratar do maior torneio do planeta, é natural que o Mundial tenha atingido as maiores audiências televisivas, correto? Parcialmente. Qual é o nível das audiências atingidas pela Copa do Mundo? Para responder a esta pergunta, o Blog Teoria dos Jogos recorreu ao seu banco de dados e às valiosas informações publicadas pelo Ibope Media Book.

Antes, é importante ressaltar que os números se referem a um universo de 21.746.000 domicílios (64.128.590 indivíduos) em 15 regiões metropolitanas (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Distrito Federal, Campinas, Florianópolis, Salvador, Recife, Fortaleza, Vitória, Goiânia, Belém e Manaus). Contemplam também a audiência agregada de todos os canais que transmitiram a Copa: Globo, Band, Fox Sports, Fox Sports 2, Band Sports, ESPN Brasil, ESPN, SporTV e SporTV 2. Vamos a eles:

Fig 01

Das 64 partidas, oito foram excluídas do cálculo por conta da última rodada da fase de grupos, quando dois jogos acontecem em concomitância. Entre os 56 remanescentes, a audiência média da Copa do Mundo na TV brasileira foi de 29,2 pontos. Destes, pouco mais de 80% se destinaram a Globo (detentora dos direitos de televisionamento) e Band (emissora licenciada). A média de audiência dos canais fechados foi de aproximadamente 5 pontos, deixando às abertas cerca de 24 pontos médios.

Tratam-se de  números superiores, por exemplo, ao Brasileirão-2013. Ano passado o Nacional registrou média de 20,8 pontos no Rio e 21,6 pontos em São Paulo. Em contrapartida, torneios jogados no formato de copa suplantaram o Mundial. Em 2013 o Rio registrou média de 27,3 pontos com Copa do Brasil e Libertadores, enquanto São Paulo atingiu 25 pontos médios com o combo Libertadores/Recopa + Copa do Brasil + Sul Americana. Todas se referem a veiculações em TV aberta (Globo e Band).

Isto significa que a Copa não vale quanto pesa? Obviamente, não. Por duas razões:

1)      Embora represente um mês de pura overdose futebolística, nem assim a Copa perde fôlego. Suas partidas são quase diárias, em horários vespertinos e sem qualquer tradição de televisionamento. Copa do Brasil e Libertadores são jogadas em horário nobre, e por isto alcançam níveis tão altos. O share da Copa do Mundo é bastante superior à concorrência, com jogos importantes atingindo picos de 90% dos televisores ligados.

2)      Na maioria dos casos, pessoas se reúnem em conglomerados durante a Copa. Isto explica o fato de o Brasil ter batido 50 pontos apenas na etapa de grupos. Nas fases eliminatórias, é certo que mais pessoas acompanharam em telões, fan fests, bares ou encontros residenciais. A final da Copa de 2002 – num horário pouco propício a tais reuniões (8 da manhã) – proporcionou à TV aberta (na época, apenas a Rede Globo) o recorde de 67 pontos de audiência.

Em suma: campanhas como o “Mostra tua força Brasil” ou o “Joga pra mim” deixam claro o potencial de mídia do torneio, justificando investimentos multimilionários e agregando valor às marcas. O bom papel de anfitrião do país – contrariando partidários da teoria dos caos – e o alto nível técnico das partidas por pouco não coroaram uma Copa do Mundo perfeita, seja esportivamente ou no campo dos negócios. A lamentar, o extremo anticlímax gerado pelo vergonhoso papelão da Seleção nas semifinais. Os últimos dias do Mundial (bem como o orgulho nacional) poderiam ter passado sem essa.

Um grande abraço e saudações!

E-mail da coluna: teoriadosjogos@globo.com

Siga @vpaiva_btj

Curtam o blog Teoria dos Jogos no Facebook!