Evasão de renda na Copa do Brasil?

Havia uma interessante expectativa em torno do jogo entre Salgueiro e Flamengo, pela 2ª fase da Copa do Brasil. O chamado “Carcará” – força em ascensão no futebol pernambucano – fazia o que se considerava a maior partida de sua breve década de história. O Flamengo, enorme onde quer que passe, arrastou multidões desde o desembarque em Juazeiro do Norte (Ceará) até o sertão pernambucano. Havendo ainda dúvidas quanto ao seu desempenho, por conta da eliminação diante do Vasco no Campeonato Carioca.

Em campo deu a lógica: Fla 2 x 0, classificação garantida pela regra das primeiras etapas da Copa do Brasil. A mesma que diz que o mandante só fica com 100% da renda caso garanta o jogo de volta. Se não acontecer (como ontem), o visitante abocanha nada menos que 60% da renda da partida.

E que renda. Acostumado a cobrar até R$ 3 pelos ingressos, ontem o Salgueiro capitalizou em grau máximo. Cobrando R$ 100 da sua torcida (primeiro lote) e R$ 200 dos visitantes (2º lote, também destinado aos locais), o clube poderia até entrar para o ranking das maiores rendas da história do futebol pernambucano – lista dominada pelo trio da capital. Infelizmente, ao final da partida estes recursos se tornaram fruto de discórdia entre as diretorias.

Tudo porque o borderô oficial teria apontado meros 4.900 pagantes em meio a 12.000 ingressos postos à venda. Mesmo com um Cornélio de Barros quase lotado. Segundo o Globoesporte.com, diante da possibilidade de evasão de renda, o chefe de segurança do Flamengo não recolheu os 60% a que tinha direito, prometendo reclamação formal diante da CBF.

A título de comparação, o Blog Teoria dos Jogos selecionou imagens do último jogo do Salgueiro como mandante, domingo passado, diante do Sport. Válida pelas semifinais do Campeonato Pernambucano, a partida também recebeu excelente público – oficialmente 9.307 pagantes (renda de R$ 137.660,00).

Fig 01

Agora as imagens de ontem, frente ao Flamengo.

Fig 02

O comparecimento da torcida do Salgueiro pareceu o mesmo, sendo a única diferença o maior número de flamenguistas (quando comparados aos visitantes do Sport). Em compensação, o espaço destinado aos visitantes era maior, acarretando certo espaço vazio. Durante a transmissão, percebeu-se que a maior parte dos rubro-negros se infiltrou entre os carcarás, a quem os ingressos saíram mais em conta.

Na manhã de hoje, jornalistas locais divulgaram que o público teria sido de 7.553 pagantes, com renda de R$ 570.200,00. Segundo os mesmos, a razão da discórdia seria a recusa do Flamengo em assinar o recibo para retirada do dinheiro.

Ao falarmos de centenas de milhares de reais, é imprescindível que não haja qualquer dúvida com relação ao rateio – um direito dos clubes. Até a publicação deste texto, o borderô oficial não havia sido publicado no site da CBF, como de costume. Parecem haver poucas evidências que justifiquem discrepâncias muito grandes entre o número de pagantes.

Com a palavra, as autoridades.

Um grande abraço e saudações!

E-mail da coluna: teoriadosjogos@globo.com

Siga @vpaiva_btj

Curtam o Blog Teoria dos Jogos no Facebook!

2 comentários sobre “Evasão de renda na Copa do Brasil?

  1. KKKKK, sempre aparece um “comediANTI” a lotação era quase que total e o Flamengo fez o certo… Que as “autoridades” resolvam, simples assim!!!

Deixe uma resposta