Direitos de transmissão: o robusto contrato a ser assinado pelo Fla

Fig 01

As condições do novo contrato com a TV Globo, a ser apreciado na próxima terça-feira pelo Conselho Deliberativo do Flamengo, foram expostas no excelente Blog do Rodrigo Mattos, do UOL. Incluindo a informação dos R$ 120 milhões a título de luvas – nada menos que o dobro do São Paulo, principal agraciado até então. No entanto, houve quem questionasse a robustez do montante, que tão somente reporia a inflação ou não apresentaria aumento real na soma das propriedades. O Blog Teoria dos Jogos apurou, então, o acordo mais a fundo. Concluindo que ele manteria a hegemonia rubro-negra em níveis pelo menos tão importantes quanto os atuais.

Pela primeira vez, a TV aberta deixou de ser a principal receita de televisionamento, por nela se ter promovido uma espécie de “equiparação anti-espanholizante”. A TV fechada veio a reboque: as duas propriedades, juntas, serão distribuídas na proporção 40 % (igualitária), 30% (desempenho esportivo) e 30% (audiências). Assim, as péssimas campanhas recentes fariam com que o Flamengo arrecadasse apenas R$ 70 milhões por temporada. Em contrapartida, terminar dentro do G4 proporcionaria ao clube aproximadamente R$ 90 milhões.

Em segundo lugar, as tais luvas. Do total de R$ 120 milhões, R$ 70 milhões entrariam cinco dias após assinatura do contrato, com outros R$ 30 milhões pagos em R$ 2019 e R$ 20 milhões em 2021. Ou seja, mesmo que os atuais representantes não se mantenham, ainda assim os futuros mandatários herdariam R$ 50 milhões em luvas. Mas o Flamengo enxerga a distribuição como sendo equivalente a R$ 20 milhões anuais, dado o prazo de seis anos do contrato.

Uma das principais novidades reside no pay per view. Ele se torna a maior fonte de receitas de TV, principalmente após a Globo garantir ao clube um mínimo de R$ 120 milhões independente de vendas. A pesquisa para descobrir o perfil dos assinantes será refinada e interiorizada, o que tende a beneficiar o Rubro-Negro. Com base no valor rateável de R$ 650 milhões, 1% dos assinantes equivaleriam a R$ 13 milhões. Com a expectativa de abocanhar entre 19% e 22%, um cenário otimista levaria para a Gávea mais de R$ 140 milhões.

Vote no Blog Teoria dos Jogos no prêmio Top Blog 2016!

Outra novidade: a publicidade estática pertence 100% ao Fla – um pleito antigo que só agora tem sucesso. Com isto, estima-se a disponibilização de um mínimo entre R$ 10 milhões e R$ 15 milhões. Consta que o São Paulo também conseguiu o benefício, mas é provável que muitos não o tenham feito, tornando a propriedade exclusiva dos negociadores com maior poder de barganha.

Por fim, surgem os direitos pela veiculação internacional do Brasileirão. Estamos diante de valores de difícil previsão, dada a necessidade de vender o torneio para diferentes mercados. Ainda assim, soa apropriado orçá-lo na casa dos US$ 5 milhões – R$ 17 milhões, na cotação de hoje.

Diante do exposto, um cenário pessimista (no tocante às colocações na tabela e vendas de PPV) trariam para o Flamengo receitas de televisionamento próximas aos R$ 237 milhões anuais. Numa ótica otimista, o clube atingiria até R$ 282 milhões. Na média, estima-se algo em torno de R$ 250 milhões anuais – R$ 1,6 bilhões, se considerarmos o agregado 2019-2024. E sem contar os direitos pelo Carioca e demais torneios.

Um grande abraço e saudações!

E-mail da coluna: teoriadosjogos@globo.com

Siga @vpaiva_btj

Curtam o Blog Teoria dos Jogos no Facebook!

13 comentários sobre “Direitos de transmissão: o robusto contrato a ser assinado pelo Fla

  1. Blog um flamenguista ortodoxo e parcial só para flamenguistas ortodoxos e parciais…

    Diz preferir o livre mercado, mas prefere também manter os privilégios adquiridos com os “direitos de terceiros”..algo que qualquer libertário etico e decente é contrario…

    Vamos então celebrar o maior quinhão do “mais querido”… O melhor de todos, o mais bonito, o que joga sozinho e nao precisa de adversários. O que tem a maior torcida em todos os lugares do mundo, mas só tem 80.000 torcedores oficiais (?!?!?)

    Foda-se qualquer competitividade esportiva decente.

    Quem não é Flamengo que se foda também!!!

    Ele é o único que importa. Tem que ganhar mais sim, sim, sim, sim….Sim PRA SEMPRE, porra!!

    É a “economia” estúpido…a economia contra a esportividade.

    Aleluia irmãos !!!!

  2. Essa informação de que abaixo do Flamengo quem recebeu a maior quantia de luvas está incorreto. Cruzeiro fechou um grande contrato com a Globo até 2024 e recebeu 100 milhões de luvas. A informação foi passada por setoristas confiáveis do clube e depois confirmada pelo maior site esportivo de Minas, o mg.superesportes.com.br

    1. Faltou o São Paulo alí. Completando a frase: “Essa informação de que abaixo do Flamengo quem recebeu a maior quantia de luvas foi o São Paulo, está incorreta.”

Deixe uma resposta