Palmeiras x Fla tem audiência de decisão e quebra recordes

fig-01

Na noite de ontem, Palmeiras e Flamengo se enfrentaram no que vem sendo considerada uma decisão antecipada do Campeonato Brasileiro de 2016. Embora seja cedo para afirmações nesta direção, dadas as treze rodadas ainda pendentes, a verdade é que as audiências televisivas refletiram uma expectativa de final de campeonato. Para o Rio de Janeiro, o empate de 1 x 1 entre alviverdes e rubro-negros rendeu espetaculares 37 pontos de audiência com 55% de share. Parece muito, e é mesmo. Principalmente se fizermos uma retrospectiva das grandes audiências do futebol nos últimos anos.

Os índices constituíram a maior audiência da Globo no Campeonato Brasileiro desde a última rodada do Brasileirão 2009 – exatamente quando o Flamengo se sagrou campeão. Naquela ocasião, a vitória de 2 x 1 sobre o Grêmio rendeu à emissora 42 pontos com 72% de share, também considerando apenas a praça do Rio de Janeiro. Desde então, apenas a decisão da Copa do Brasil de 2013 alcançou resultado melhor. Na noite de 27/11/2013, o Flamengo (sempre ele) venceu o Atlético-PR por 2 x 0 e rendeu à TV dos Marinho 38 pontos com 61% de share. Como a Band também transmitiu aquela partida (o que não acontece mais), a audiência total daquela ocasião ficou em 41 pontos com 66%.

Se considerarmos a audiência somada Globo + Band, além das finais de 2009 e 2013, apenas outros dois jogos superaram a partida de ontem no Rio. Foram eles: a segunda partida das oitavas de final da Copa do Brasil 2015, entre Flamengo x Vasco (41 pontos com 64% totais) e o antológico Santos 4 x 5 Flamengo de 2011 (39 com 60%). Uma surpreendente partida entre Fla e Vasco válida pela fase de grupos da Taça Guanabara deste ano marcou os mesmos 37 pontos, mas com share superior (57%). Lembrando que em todos estes casos, a audiência da Globo sozinha foi menor do que a emissora marcou ontem.

Mas os números de ontem não foram impressionantes apenas sob a ótica carioca. Mesmo em São Paulo, recentemente a Globo jamais atingiu 37 pontos com uma partida do Brasileirão. É verdade que por seis vezes a Globo marcou entre 39 e 46 (!) pontos, todas envolvendo jogos do Corinthians. No entanto, em cinco oportunidades o torneio era a Libertadores em estágios avançados. Na outra, tratava-se da final da Copa do Brasil de 2009. Isolando apenas o Campeonato Brasileiro, Corinthians x Palmeiras (última rodada de 2011) e São Paulo x Corinthians (25ª rodada do mesmo ano) marcaram, respectivamente, 41 e 38 pontos, mas no agregado com a Band. Sozinha, a Vênus Platinada não ultrapassa os 30 pontos em São Paulo há anos.

A Globo do Rio também igualou sua melhor audiência absoluta no futebol 2016. Ela pertence à final Olímpica, entre Brasil x Alemanha, momento em que atingiu os mesmos 37 pontos, mas com incríveis 60% de share em plena tarde de sábado. No absoluto, a conquista  do ouro segue como a maior audiência do futebol no ano, com 45 pontos totais (73%) – graças aos 5 pontos atingidos pela Record (8%) e 3 da Band (5%). Em São Paulo também foi assim: 46 pontos totais (70%), sendo 35 com 53% na Globo, 6  com 9% na Band e 5 com 8% na Record.

Para terminar, ontem a Globo São Paulo optou por veicular Coritiba x Corinthians em detrimento do clássico do Allianz Parque – que demandaria a exceção de exibir a partida para a mesma praça. Assim, o resultado foram protocolares 26 pontos com 40% de participação.

Um grande abraço e saudações!

E-mail da coluna: teoriadosjogos@globo.com

Siga @vpaiva_btj

Curtam o blog Teoria dos Jogos no Facebook!

Um comentário sobre “Palmeiras x Fla tem audiência de decisão e quebra recordes

  1. Quantos assistiram a Coritiba x Corinthians e quantos assistiram a Palmeiras x Flamengo? Protocolares 26 pontos? Com certeza se comparado ao volume de espectadores envolvidos, na visão dos patrocinadores da TV os “protocolares” 26 pontos foram espetaculares.
    Não creio que 37% – espetacular número de fato, mas se fosse para a praça de SP não chegaria a 25% – de uma população de 10 milhões, não é superior a 26% de uma população de 20 milhões, ou estou enganado?
    Foi melhor os resultados dos protocolares de um jogo que nada significava, que os 37 de um jogo considerado uma “decisão”.

Deixe uma resposta